Vila Verde

Escariz S. Mamede recebeu os “sabores da terra”

Foram dois dias de cenário festivo em Escariz S. Mamede. Tudo aconteceu no último fim de semana, 13 e 14 de outubro, com a 9.ª edição dos ‘Sabores da Terra’ a invadir o largo da Igreja da freguesia com um programa cultural que deliciou as milhares de pessoas que por lá passaram. Embora as condições meteorológicas se apresentassem pouco convidativas, não houve frio nem chuva que impedisse escarizenses e visitantes de aproveitar o fim de semana para contemplar e, em alguns casos, conhecer pela primeira vez a genuinidade das tradições do mundo rural.

A qualidade gastronómica tradicional, a criatividade do artesanato e a presença animada dos espetáculos de música ao vivo foram uma constante no evento, no entanto os olhares concentraram-se de forma especial para a ornamentação peculiar da igreja paroquial. Como é hábito, vários elementos da população local juntam-se para celebrar as colheitas, embelezando o espaço religioso com uma abundante e colorida decoração de produtos agrícolas. Nota de realce também para o Grande Encontro de Tocadores de Concertinas do domingo à tarde, que atraiu a participação das pessoas levando-as a dançar alegremente.

Glória e Rosa, mãe e filha (respetivamente), foram duas mulheres que não passaram despercebidas pela ginástica rápida ao fazer pão caseiro durante toda a festa. Naturais de Escariz de S. Mamede, ambas relembram que já são muitos anos a assar pão e que fazem sempre tudo com ingredientes caseiros: “Aqui, nós fazemos o processo todo desde amassar a farinha até ir ao forno de lenha. Tudo é feito com coisinhas de casa. A farinha é feita com milho caseiro, moído em casa e tudo”. As tradicionais broas de sardinhas e de rojões da região estavam sempre a sair quentinhas e tinham a aprovação das pessoas que lá passaram. No final da conversa, mãe e filha contam com um tom muito satisfeito que são vencedoras do prémio do concurso de broa de milho da edição deste ano da Festa das Colheitas de Vila Verde.

Adelino Machado: “Vêm muitas pessoas de longe… é uma honra recebê-las”

O presidente da Junta de Freguesia Escariz S. Mamede realçou os vários motivos de visita aos ‘Sabores da Terra’ e, logo a seguir, fez o destaque dos objetivos que a organização procura atingir. “A decoração dos altares da igreja é um dos aspetos mais atrativos ao longo dos dois dias, mas também temos mais iniciativas como a vertente gastronómica com os mais variados produtos regionais e a animação musical. A nossa ideia é dinamizar a freguesia o mais possível e angariar receitas para as obras da igreja. Já se fez a cobertura, agora vamos começar com o arranjo dos altares”, refere Adelino Machado. O autarca não escondeu a satisfação pela forte adesão popular: “Vêm muitas pessoas de longe, de vários pontos do distrito e de outros distritos. É uma honra para nós receber essas pessoas”.

Sem medo à chuva, um enchente foi à festa!

O outono começou a dar sinais de vida no passado fim de semana, no entanto Escariz S. Mamede não se rendeu e apresentou dois dias intensos de atividades recreativas com uma afluência significativa. As portas abriram no passado sábado, dia 13 de outubro, com os famosos produtos hortícolas a servir de adornos aos altares da igreja. Durante horas, vários membros da freguesia juntam-se a fazer arranjos de alta criatividade e admirável talento que tornam o templo ainda mais emblemático e com uma beleza especial. Foi também por essa hora que a tasquinha com petiscos regionais chegou para confortar os estômagos e contentar os paladares das várias pessoas que se movimentavam pelo recinto. A lista de escolhas gastronómicas sugeria pataniscas, broa e bolo caseiros, pica-no-chão, orelha, rojões, doces caseiros, vinho novo, vinho de maçã e caldo verde. A parte noturna foi dedicada a dois espetáculos musicais. As atuações do Grupo Folclórico das Lavradeiras de Escariz S. Mamede e do Grupo Folclórico da Casa do Povo da Vila de Prado levaram a cabo o Festival Folclórico, um evento cultural que espalhou alegria e boa-disposição enquanto divulgou e promoveu a tradição minhota através das danças e cantares típicos da região. O serão fechou com o concerto interpretado pela Escola de Música Banda Musical de Oliveira, de Barcelos.

Um domingo em cheio!

A celebração eclesiástica em ação de graças pelos ‘frutos’ da terra abriu o programa de domingo com várias pessoas a continuarem a apreciar a arte dos altares. Passada uma hora da missa, a conhecida feira das colheitas estava pronta para expor e vender até ao fim do dia os mais variados produtos agrícolas, animais vivos, doces caseiros, artigos de artesanato e máquinas agrícolas, entre outros. Já a tasquinha com petiscos regionais continuava com grande azáfama nas andanças de cozinhar as tradicionais iguarias. A última iniciativa das festividades deu-se com o Grande Encontro de Tocadores de Concertina ao fim do almoço. Foram vários os amantes do instrumento típico do Minho a rodear o recinto com os sons populares a seduzir a plateia a dançar.

Consagrou-se assim a 9.ª edição ‘Sabores da Terra – Gastronomia Local’, um evento organizado pela Junta da União de Freguesias Escariz S. Mamede e Escariz S. Martinho com o apoio da paróquia. É também uma iniciativa que está inserida na alargada programação Na Rota das Colheitas, do Município de Vila Verde, que decorre de agosto a novembro.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação