Destaque Vila Verde

PS quer cidadãos a decidir parte do orçamento da Câmara de Vila Verde

Redação
Escrito por Redação

O Partido Socialista (PS) de Vila Verde vai apresentar várias propostas para o Plano de Actividades e Orçamento para o ano 2019, sendo que uma delas é a implementação do Orçamento Participativo no concelho, à semelhança do que já acontece no Município de Braga, querendo mesmo que o assunto seja levado à próxima Assembleia Municipal.

“Esta medida insere-se naquilo que o PS defende para Vila Verde. Uma democracia local mais participada e que valorize políticas de intervenção objetiva, de resposta a problemas concretos de Vila Verde”, dizem os socialistas, que pretendem com esta medida que “parte do orçamento do Câmara seja decidido pelos cidadãos, envolvendo-os na decisão e respondendo à perceção que os mesmo têm das necessidades”.

Em comunicado, os socialistas realçam que vão ser várias as “propostas para o desenvolvimento do concelho”. “Firmes na oposição mas construtivos, apresentando propostas e ideias paras o desenvolvimento concelhio”, refere ainda o comunicado, revelando a proposta da criação de um Orçamento Participativo em Vila Verde.

“É entendimento do PS que o Plano e Orçamento Municipal devem ser regidos por princípios democráticos, de envolvência e participação de todos quantos queiram colaborar. Não pode ser apenas um instrumento das opções políticas de quem governa. Deve, por isso, ser um documento demonstrativo da atenção que a autarquia tem pelas necessidades e anseios” da população, diz o PS.

“Assim, o PS de Vila Verde defende a institucionalização do Orçamento Participativo, em que a decisão política de intervenção, a definição de prioridades infraestruturais e a aplicação do dinheiro público municipal, passe por um processo de debates abertos a todos, onde devam participar todas as associações concelhias e todos os cidadãos interessados em contribuir com as suas opiniões para a resolução dos problemas de Vila Verde”.

“Compete à autarquia assegurar a criação de meios humanos e financeiros que permitam a implementação desta importante medida. É uma questão de vontade política”, realçam os socialistas, pedindo ainda “estímulos às freguesias no mesmo sentido”.

“Envolver todos (…) na vida do concelho é sinal de uma democracia madura, transparente, sem medos, e capaz de ouvir os cidadãos e de prestar atenção aos seus reais problemas”, finaliza o comunicado.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação