Braga

Câmara de Braga garante estar “na vanguarda” das política de proteção animal

Redação
Escrito por Redação

A Câmara de Braga garantiu ontem estar na “vanguarda no que se refere à política de proteção animal”, mostrando-se “totalmente disponível” para ouvir as contribuições da sociedade civil e “continuar a trilhar” o caminho na defesa dos animais

Em comunicado enviado à Lusa, tendo em conta a discussão agendada na Assembleia da República de uma petição pública criada pelo movimento ‘Braga para Todos’, que exige que sejam criadas condições de vida condignas para os animais de rua em Braga, a autarquia enumera várias políticas em vigor no concelho que visam proteger os animais de rua, desde protocolos com associações, formação de colaboradores e serviços de emergência veterinária.

Assim, salienta o texto, “o Centro Municipal de Recolha Oficial (CRO) de Animais de Companhia de Braga tem sido alvo, nos últimos anos, de diversas intervenções que têm por objetivo dotar o espaço de maiores e melhores condições para o acolhimento dos animais errantes”, desde o “maior número de boxes para cães e gatos à criação de condições para se proceder à esterilização e recobro dos animais errantes em segurança”

Segundo a autarquia, “todos os dias, incluindo feriados e fins-de-semana, existe disponibilidade do serviço de recolha de canídeos e felídeos, 24 horas por dia, de acordo com as necessidades e solicitações” e “todos os animais (canídeos e felídeos, machos e fêmeas) cedidos para adoção no Centro de Recolha Oficial de Braga são esterilizados gratuitamente”.

“Os animais são acompanhados por uma credencial que lhes permite usufruir de todos os tratamentos e assistência veterinária a preços reduzidos através de um acordo de Medicina Veterinária Social estabelecido entre a Câmara Municipal, a AGERE e os Centros de Atendimento Veterinários aderentes”, lê-se.

No texto, é ainda referido que “os animais recolhidos no Centro de Recolha Oficial em situação de urgência são assistidos em centros de atendimento médico-veterinários” e que o município estabeleceu um protocolo com a Ordem dos Médicos Veterinários de forma a “implementar no Concelho o Programa de Apoio de Saúde Preventiva a Animais em Risco”.

Aquele programa, explana a autarquia, “permite criar uma rede de cuidados primários médico-veterinários para animais em risco, nomeadamente no que se refere à vacinação, desparasitação e esterilização, bem como outros tratamentos e urgências 24 horas”.

A autarquia tem ainda “previstas medidas como a atribuição do cheque-veterinário a famílias carenciadas do Concelho ou a quem adotar um animal de companhia no Centro de Recolha Oficial de Braga”.

Entre outras medidas enunciadas, de referir ainda a existência de uma “viatura de emergência médico-veterinária para efetuar a recolha e o transporte de animais acidentados”, que está sob a responsabilidade dos Bombeiros Sapadores de Braga.

O texto destaca ainda que “os colaboradores do Centro de Recolha Oficial têm formação interna e externa (certificada) adequada, nomeadamente na área dos Primeiros Socorros a Animais”.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação