Braga Destaque Vila Verde

Empresário dos parques de Vila Verde tenta despejar irmão

DR
Redação
Escrito por Redação

O empresário titular do parque de estacionamento e parcómetros do centro de Vila Verde, Custódio Correia, está desde esta semana a tentar despejar o irmão mais velho, no Parque Industrial de Celeirós, Braga, com reações a quente, que levaram à intervenção da GNR.

Custódio Correia, da Socicorreia e Sociparque, tem uma ordem judicial de despejo da empresa-mãe do Grupo ACF, a Arlindo Correia & Filhos, sediada em Vimieiro, Braga, que é liderada por um dos seus irmãos, António Correia, pelo que face à resistência para o cumprimento da diligência, vai tentar executá-la de novo entre quinta-feira e sexta-feira.

Os incidentes levaram mesmo a que a segunda audiência de um dos diversos julgamentos que opõem ambos os irmãos Correia, ficasse adiada, uma vez que todos os intervenientes na ação cível, a decorrer no Tribunal de Braga estavam envolvidos na contenda, com uma única exceção, a de um terceiro irmão, José Correia, que ali se deslocou para testemunhar, sendo que este se reclama sócio da Arlindo Correia & Filhos, Socicorreia e da Sociparque, o que Custódio Correia tem vindo a contestar judicialmente em várias batalhas jurídicas.

Custódio Correia obteve a restituição provisória da posse de todo o edifício onde funciona a Socicorreia e a Arlindo Correia & Filhos, Ldª (ACF), tendo um solicitador de execução, munido da decisão judicial tentado despejar esta última empresa, que é detida por António Correia, com os filhos deste último a oporem-se, contestando a oportunidade do despejo, num momento em que uma das ações está ainda a ser julgada, no Tribunal Cível de Braga.

Neste processo, uma das muitas ações cruzadas entre os irmãos empreiteiros desavindos, está em causa o acerto de contas entre ambos, que numa primeira fase afastaram daquelas empresas outro irmão, José Correia, decisão já declarada ineficaz, pelo Supremo Tribunal de Justiça, alegando Custódio que António vendeu bens imobiliários seus sem lhe pagar, mas António diz que os bens eram seus, na sequência da divisão dos patrimónios comuns.

O caso, bastante comentado ao longo de todo o dia, nas freguesias vizinhas de Celeirós e Vimieiro, ocorreu no dia do 78º aniversário do patriarca da família, Arlindo Correia, que chegou a estar indigitado para presidir ao Sporting de Braga, antes de António Salvador.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação