Braga Destaque

Vídeo de alunos de Medicina da UMinho premiado pela luta contra o estigma

João Lima (c) DR
Redação
Escrito por Redação

Já foram apurados os vencedores da 9.ª Edição do “AUA! – ANGELINI UNIVERSITY AWARD”, que teve por tema “Viver com Doença Mental Grave”, num evento que decorreu ontem no Pavilhão do Conhecimento, em Lisboa.

O trabalho classificado em 1.º lugar, “Informar para desestigmatizar”, vem da Escola de Medicina da Universidade do Minho, e teve por autores João Pedro Lima e Nuno de Sousa e Castro, orientados pelo Professor Pedro Morgado.

Os dois autores realizaram um primeiro vídeo de uma sessão de sete para acabar com os mitos sobre a saúde mental. “Depressão” é o tema patente no vídeo vencedor.

Este projeto tem por objetivo desenvolver futuramente uma plataforma digital para alojar materiais educativos e recursos didáticos acerca das doenças mentais, num formato inovador e em português, que possam ser livre e facilmente utilizados pelos profissionais de saúde, doentes, familiares, amigos ou escolas,.

Os autores pretendem um acesso generalizado à informação necessária, melhorar os cuidados de saúde em psiquiatria, a qualidade de vida dos doentes e diminuir os custos associados às principais doenças psiquiátricas.

A equipa vencedora acredita que estes custos podem ser reduzidos através da prevenção primária e, nomeadamente, da (in)formação generalizada sobre estas doenças.

“O estigma acarreta custos sociais e económicos elevados, uma vez que conduz ao atraso da procura de cuidados e adesão ao tratamento. Mas, é possível diminuir este estigma e ao mesmo tempo melhorar a qualidade de vida dos doentes através da educação para a saúde”, referem os autores do projeto.

Em 2.º lugar ficou o projeto D-Fox, da Universidade Autónoma de Lisboa, apresentado por Sara Calado, Sara Moreira e Inês Fernandes e a supervisão da professora Luísa Ribeiro. O trabalho favorito do público foi “A outra face”, de Francisco Queirós, Joana Lourenço e Luana Hanysz do ISPA, apoiados pelo professor Csongor Juhos.

Foram também divulgados os vencedores das duas categorias da 1ª edição do Prémio de Jornalismo “AUA! – ANGELINI UNIVERSITY AWARD”. Tendo por objetivo ajudar a sensibilizar a opinião pública para as questões da doença mental, Clara Soares venceu a categoria de Jornalistas com carteira profissional, com o texto “Os miúdos não estão bem”, publicado na revista Visão, recebendo um prémio no valor de 2.250 euros, entregue pela representante do Sindicato dos Jornalistas, Isabel Nery.

A categoria estudante, com um prémio no valor de 750 euros, foi ganha pelo trabalho “Alentejo, precisamos falar de saúde mental”, de Júlia Zampieri de Lima.

Destinado aos jovens universitários portugueses (estudantes de licenciatura, pós-graduação ou mestrado do ensino superior), e com o objetivo principal de estimular a sua criatividade e inovação, o concurso da Angelini Farmacêutica pretende que, anualmente, sejam desenvolvidos projetos multidisciplinares e com aplicabilidade prática relacionados com a temática seleccionada cada ano.

Com um prémio monetário total no valor de 12.000 euros, o “AUA! – ANGELINI UNIVERSITY AWARD” 2017/2018 atribuiu 8.000 euros ao grupo vencedor (5.000€ – candidatos / 2.000€ – professor(a) orientador(a) / 1.000€ – project advisors) e 4.000 euros (2.500€ – candidatos / 1.000€ – professor(a) orientador(a) / 500€ – project advisors) ao segundo classificado. Os 15 melhores projetos estiveram neste evento de encerramento, onde apresentaram os seus trabalhos perante um painel de jurados especialistas e entidades ligadas ao Sector da Saúde. Mais informações em AUA.PT.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação