Braga Destaque

Ciclovia de Lamaçães serve estacionamentos em segunda fila

Fernando André Silva

Um ciclista registou em vídeo a passagem de bicicleta pela ciclovia junto à variante da Encosta, em Braga, mostrando que a mesma se encontra constantemente ocupada por viaturas estacionadas em segunda fila.

O vídeo mostra ainda um condutor que ocupou quase na totalidade uma das entradas nessa mesma via ciclável, chegando a haver mesmo uma troca de palavras entre os dois, que decidimos, no entanto, não mostrar. Na troca de palavras, o condutor da viatura de marca ‘Mercedes’ refuta o protesto do ciclista com um “eu estacionei na ciclovia mas vocês também andam na estrada”.

Segundo apurámos com o ciclista em questão, a ciclovia está constantemente apinhada de carros (mal) estacionados, em segunda fila, quando existem lugares de estacionamento vagos a poucos metros da mesma. E o caso do mercedes estacionado terá sido idêntico, uma vez que, na mesma avenida, o ciclista contou sete lugares vagos para estacionamento de viaturas.

Gustavo Jeremias desloca-se em média quatro vezes por semana em bicicleta pelo centro da cidade, fazendo uma média de 14 quilómetros em cada uma dessas deslocações, e tem encontrado vários problemas relativamente à mobilidade ciclável em Braga.

Sobre a ciclovia que passa em Lamaçães, refere passar lá “em quase todas as viagens depois de ir comprar pão”. “Não fica na minha deslocação para casa pois moro em São Vicente, mas faz parte da minha rota ‘zen’”, disse ao Semanário V.

Ciclovia vai ser totalmente reformulada

Foi no passado dia 23 de julho que o executivo municipal aprovou o projeto “Inserção da Rede Pedonal e Ciclável do Centro Urbano de Braga – Variante da Encosta – Lamaçães”, estando a obra sujeita a concurso público.

Segundo o município, esta requalificação está inserida num projeto global que prevê “entre 2018 e 2020 a execução de 20,44 km de rede ciclável” no centro urbano da cidade de Braga, passando pela na Av. da Liberdade, Av. 31 de Janeiro, e na “Rodovia”.

Associação Braga Ciclável coloca reserva e faz reflexão sobre intervenção em Lamaçães

Segundo a Associação Braga Ciclável, em uma “análise e reflexão” publicada no seu site, foram já vários os problemas identificados e denunciados sobre a ciclovia da Encosta [ciclovia de Lamaçães].

Aquela associação dá exemplos de problemas que existem desde a construção da via, como a “não aplicação de técnicas urbanísticas que levassem o trânsito motorizado a circular a velocidades adequadas para aquela área”, a ciclovia “perigosamente posicionada nas traseiras dos carros estacionados”, “o lancil elevado e afiado do lado da ciclovia”, a falta de proteção da ciclovia nas intersecções ovais e circulares” e “falta de conetividade desta ciclovia, isolada ali no vale de Lamaçães e sem fazer a esperada e necessária ligação aos principais destinos de interesse”.

Sobre problemas mais recentes, a Braga Ciclável aponta a “degradação do piso e a criação de interrupções sem o devido tratamento para acesso a novos edifícios que foram surgindo”.

“São algumas das numerosas críticas que vinham sendo apontadas ao longo dos últimos dez anos. Sim, dez anos à espera de obras naquela espécie de ciclovia”, refere a associação.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista