Vila Verde

Mais de 70 pessoas foram ao Hospital do Sorriso, em Soutelo

(c) Sinopse
Redação
Escrito por Redação

Foram muitos os sorrisos que se largaram pelo hospital improvisado na Escola Básica de Soutelo durante o passado domingo, 04 de novembro. Pela primeira vez na freguesia, o projeto social Hospital do Sorriso conquistou o interesse de mais de setenta pessoas que experimentaram os benefícios dos tratamentos naturais na promoção de uma vida mais saudável.

Tanto crianças como adultos receberam um atendimento individual feito pelos trinta especialistas voluntários das diversas áreas da medicina não convencional como aromaterapia, acupuntura, ventosaterapia e massagem, entre outras.

Após a inscrição, os vários pacientes passaram por dois exercícios fundamentais antes de entrar na sala de tratamento propriamente dita.

Tudo começou com as pessoas a explicar aos terapeutas as patologias que lhes provocam dor e inalar os diferentes cheiros dos óleos essenciais sem produtos químicos. Posteriormente, os pacientes entraram na sala de tratamento, por ordem de chegada, para serem cuidados pelas mãos experientes dos terapeutas. Tudo de forma totalmente gratuita e com muita paixão pela arte.

Organizado pela Associação Portuguesa de Aromaterapia, o Hospital do Sorriso celebrou assim a sua 50ª ação com muita adesão e com sentimentos felizes, como prova o testemunho da participante Rosa Rodrigues: “Sinto-me mais leve, mais aliviada!”.

“Já não tenho aquela dor forte que tinha”

Residente em Turiz, Rosa Rodrigues foi uma das pacientes que chegou a Soutelo com a intenção de curar o mal do braço. Depois de longos minutos de tratamento, a participante chegou ao fim com um sorriso no rosto e disse que foi uma experiência única e que valeu muito a pena. “Estou muito melhor. Já não tenho aquela dor forte. Antes não conseguia mexer o braço como estou a mexer agora. Estou feliz!”, conta Rosa com muita emoção. Entre um ambiente sereno, as terapeutas não paravam de trabalhar em prol do bem estar dos pacientes com as técnicas naturais. Beatriz Barbosa é um dos rostos que faz parte da equipa e que não escondeu o gosto e o prazer que tem em cuidar dos outros.

Na sua perspetiva, a 1.ª edição do Hospital do Sorriso em Soutelo teve um balanço bastante positivo. “Acho que correu muito bem. As pessoas ficaram muito mais leves, confiantes, alegres e, acima de tudo, com um ar mais saudável”, refere, acrescentando ainda que que além de haver uma intervenção a nível do físico, a atividade abrangeu também o estado psicológico das pessoas. “Os nossos óleos essenciais, a acupuntura e as massagens em pontos específicos fazem a diferença, no entanto, há aqui uma outra necessidade que se prende com a orientação da pessoa na vida. Aí, eu falo com o paciente para lhe mostrar aquilo que faço, que passa por me concentrar sempre na solução e não no problema”, sublinha Beatriz.

“É tão bom ajudar os outros”

Igualmente feliz, a presidente da APA-Associação Portuguesa de Aromaterapia e mentora do projeto Hospital do Sorriso, Raquel Costa, descreveu o evento como um verdadeiro “sucesso”. A tratar de um paciente enquanto conversa, a especialista em Aromaterapia Clínica frisou que só há razões para estar orgulhosa com a iniciativa: “As pessoas estão a sair daqui ótimas, sem dor. Nós temos aqui de tudo, de crianças a adultos, com todo o tipo de problemas. Com a aromaterapia e com as outras técnicas da medicina não convencional, tratamos todas as patologias como o sistema nervoso e o digestivo, entre outras”. Raquel Costa deu como exemplo uma pessoa que estava na sala, que teve um problema de saúde mental grave e através da medicina alternativa conseguiu vencer. No que toca ao futuro do Hospital do Sorriso, a terapeuta afirmou que é um projeto para perdurar: “Claro que o Hospital é para continuar…até eu ser velhinha. (sorrisos) A equipa é fantástica e é tão bom ajudar os outros”.

“Foi muito positivo para todos!”

A 50.ª edição do Hospital do Sorriso foi organizada em conjunto pela Associação Portuguesa de Aromaterapia, Junta de Freguesia de Soutelo, Movimento Soutelo Ativo e Manuela Crespo, com o apoio de várias empresas e instituições. A iniciativa chega a Soutelo graças ao empenho de duas forças vivas da freguesia, o Movimento Soutelo Ativo e a Junta de Freguesia, que abraçaram o projeto desde o primeiro minuto. Ana Fernandes, do Movimento Soutelo Ativo, referiu que esta atividade foi muito bem-sucedida graças ao excelente trabalho do Hospital e à forte adesão do público. “Foi muito positivo para todos. Nunca pensamos reunir tanta gente. As pessoas adoraram”, vinca, acrescentando que tanto o Movimento Soutelo Ativo como a Junta de Freguesia de Soutelo estão disponíveis para abraçar novamente o Hospital do Sorriso: “As portas estão sempre abertas para receber mais uma edição”.

Pessoas chegaram com dor e saíram com um sorriso

A par dos restantes organizadores, o Presidente da Junta de Freguesia de Soutelo mostrou-se satisfeito com o evento. “A atividade foi bem-sucedida com a fusão de dois objetivos. Por um lado, permitiu à população desfrutar de um cuidado, de um carinho… E resultou, muitas pessoas chegaram com bastante dor e saíram com um sorriso no rosto. Por outro, levou a que as pessoas tivessem contacto com a utilização de técnicas naturais, potencializando o corpo e equilibrando a mente sem recurso a produtos químicos”, afirma Filipe Silva.

No terreno há sete anos (desde 2011), o Hospital do Sorriso pretende de forma generosa dar melhores condições de vida às pessoas no que toca à saúde física e mental. O projeto é abraçado por um conjunto de elementos formados nas áreas das terapias naturais, que tem a função de organizar a atividade em locais diferentes num domingo de cada mês. Do Centro ao Norte, a iniciativa já passou pelos mais variados lugares e tem sido presença assídua no concelho de Vila Verde.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação