Destaque Vila Verde

Rui Silva (PSD) nomeado para as audições parlamentares do Caso Tancos

Fernando André Silva

Rui Silva, deputado eleito pelo Partido Social Democrata à Assembleia da República, foi hoje nomeado para a comissão de inquérito parlamentar no caso que envolve o desaparecimento de armas de um dos paióis de Tancos.

O também líder da concelhia social democrata de Vila Verde vai ser um dos representantes daquela partido para inquirir os envolvidos num comissão que inicia formalmente os seus trabalhos nesta quarta-feira com a posse do socialista Filipe Neto Brandão como presidente.

Esta comissão a que pertence Rui Silva tem 180 dias para concluir os seus trabalhos, embora possam ser prolongados por mais 90 dias.

Ainda não há uma lista com o nome dos inquiridos mas tanto o antigo ministro da Defesa, Azeredo Lopes, como os elementos da PJM que foram detidos (cinco), são algumas das figuras que a comissão quer ouvir.

Rui Silva questionou ministro da Defesa

Durante a sessão de ontem no Parlamento, o deputado Rui Silva (PSD) voltou a relembrar o Ministério da Defesa que existem graves dificuldades financeiras no Hospital das Forças Armadas. Rui Silva aponta o crescimento do défice daquela unidade falando em “milhões” de euros que não são transferidos e que “dificultam os serviços já existentes e impedem que haja um aumento do espaço”.

Rui Silva falou ainda de dificuldades em manter os médicos naquela unidade, existindo uma “fuga” para o SNS e para hospitais privados e até para o estrangeiro. O deputado interrogou o ministro sobre a potencial abertura daquele hospital, exclusivamente militar, a privados e a utentes do SNS, de forma a “potenciar receitas”.

O deputado do PSD recordou ainda uma promessa do Governo em investir em maior apoio aos deficientes da Forças Armadas. “No orçamento de estado para o próximo ano é referido que essa é uma prioridade, mas o mesmo texto estava já redigido igual em 2016, 2017 e 2018, e esses apoios foram apenas uma ilusão”, disse Rui Silva.

“Os militares que defenderam o nosso país de forma determinada com consequências físicas e psicológicas, merecem mais respeito. Esperamos que em 2019 se transformem em apoios efetivos”, vincou.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista