Braga Destaque

Sá de Miranda celebra a memória (i)material da escola com quase dois séculos de história

Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

“As memórias são importantes para abrirmos caminhos para o futuro”. Foi desta forma que a Diretora do Sá de Miranda, Antonieta Silva, iniciou a sessão de abertura do encontro ‘Preservar a memória (i)material da escola’, que o liceu acolhe nos dias 16 e 17 de Novembro. O evento foi organizado em parceria com o CITCEM – Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Educação e Memória da Faculdade de Letras da Universidade do Porto, no sentido de celebrar a memória da escola e relembrar a forma como a escola “nasceu, cresceu, fez-se e refez-se”.

As memórias são transmitidas ao longo de décadas, não apenas pelas características imateriais, mas também pelos edifícios, o mobiliário e os materiais. Antonieta Silva recordou que “se as paredes da escola, das salas de aula falassem, se as paredes dos claustros falassem, muito tinham para dizer. Esta escola tem mesmo muito para contar”.

Um dos liceus mais antigos da cidade de Braga, o Liceu Central de Braga – mais tarde Liceu Sá de Miranda -, entrou em funcionamento em 1845 e há quase dois séculos que funciona com “o objetivo de centrar o trabalho nos alunos, preparar os alunos para o futuro, prepará-los para serem cidadãos íntegros, ativos e participativos”.

A Diretora da escola continuou, realçando que “a escola evoluiu tanto que agora já não há só a Escola Secundária Sá de Miranda, há todo um conjunto de unidades educativas que vão desde o pré-escolar ao primeiro ciclo, a escolas básicas, que fazem parte do modelo organizacional da escola, onde também pretendemos dar aqui uma continuidade pedagógica”.

O encontro conta com várias conferências e oficinas, nas quais serão abordados temas relacionados, principalmente, com o património e memória das escolas, abordando as áreas dos manuais escolares, das bibliotecas, arquivos, materiais de ensino e a construção material das escolas e memórias.

Ricardo Rio, Presidente da Câmara de Braga, que também esteve presente na sessão de abertura, realçou que o “liceu Sá de Miranda não era um liceu apenas ao serviço desta cidade, era um liceu ao serviço de toda uma região” e acrescentou, ainda, a importância do “impacto que tem na qualificação dos jovens para lhes dar mais oportunidades, mais prestativas no desenvolvimento pessoal e profissional”. Continuou, afirmando que a Escola foi um pilar no crescimento da cidade de Braga.

Ainda na abertura do encontro, marcou presença o pró-reitor da Universidade do Minho, Manuel João Costa.

Fotos: Mariana Gomes

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista