Braga Desporto Destaque

Foi aos Jogos Olímpicos e “desapareceu”. Dois anos depois, Braga “recupera” campeã de Marcha

Foto: Revista Atletismo
Fernando André Silva

A 19 de agosto de 2016, Daniela Cardoso estreou-se nos Jogos Olímpicos, terminando a prova de marcha [20 quilómetros] entre as 40 melhores do mundo. Poucos imaginavam na altura que o prodígio desta modalidade fosse pura e simplesmente desaparecer do desporto de alto nível, depois de tanto lutar pela participação olímpica.

Em novembro do mesmo ano, deixou o clube de sempre que ajudou a fundar, o Leiria Marcha, e passou a treinar a nível individual (como sucedeu recentemente com o também olímpico pradense Hélder Silva), abandonando as competições de alto rendimento.

Daniela Cardoso, 26, nascida em Cascais mas desde cedo residente em Pombal, ficou assim dois anos afastada das provas, dedicando-se a um mestrado em Rio Maior. Dois anos depois da retirada, foi convidada pelo departamento de Atletismo do Sporting Clube (SC) de Braga. E, a 15 de outubro, disse que sim a António Salvador.

Em estreia nos Jogos Olímpicos, Daniela Cardoso finalizou a sua prova dos 20 km marcha no 36.º posto, em 2016. Uma posição que a marchadora portuguesa considerou positiva, até porque estar nos JO foi visto como uma vitória para a lusa, que, na altura, tinha 24 anos.

Em declarações ao Jornal de Leiria, esta semana, a atleta revela que apesar de ter estado afastada da marcha atlética durante duas épocas, nunca disse que “jamais voltaria”. “Sempre foi uma questão em aberto. Quando me convidaram fiquei um pouco reticente, não pela proposta em si, mas por algumas inseguranças minhas. Após alguma reflexão pensei: o que tenho a perder? Nada! Então por que não? Vamos a isto!”, disse.

Daniela Cardoso nasceu em 15 de dezembro de 1991, em Cascais. Representou o Bairro Anjos (2007 a 2009), AC Vermoil (2010 e 2011), NDA Pombal (2012), Leiria Marcha Atlética (2013 a 2016) e Individual (2017).

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista