Amares Destaque

Grupo de Braga quer Presidente da República a homenagear Variações

Fernando André Silva

Fez esta segunda-feira 74 anos que nasceu em Fiscal, o malogrado músico António Variações. Um grupo de cidadãos de Braga, presidido por Carlos Dobreira, quer agora uma homenagem por parte do Presidente da República ao conhecido autor dos êxitos “Anjo da Guarda” ou “É pr’amanhã”.

Aquele grupo lançou uma petição a pedir a condecoração nacional do artista amarense, através da recém-formada Comissão Promotora de Homenagem a António Variações.

Aquele grupo entende que esta homenagem através da atribuição de uma medalha “é a melhor forma de preservar a memória” do artista de Amares. O grupo de cidadãos está a organizar um conjunto de iniciativas que pretende assinalar os 35 anos da morte de António Variações, durante todo o ano de 2019.

O músico nasceu no seio de uma família humilde em Fiscal, no concelho de Amares, mudando-se para Lisboa aos 12 anos, onde teve os primeiros contactos com a cultura urbana e musical. Morreu a 13 de junho de 1984 com 40 anos.

Têm sido várias as homenagens ao músico, com a mais recente a surgir na forma do livro ‘Entre Braga e Nova Iorque’, da biógrafa Manuela Gonzaga.

O mesmo grupo de cidadãos propôs recentemente à Câmara de Braga a atribuição do nome daquela cidade a António Variações. Será também em 2019 o lançamento do filme sobre a vida do cantor que foi também rodado na freguesia de Fiscal, contando com alguns populares.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista