Cultura Destaque Vila Verde

Património. UNESCO cria clube em Vila Verde

(c) Luís Ribeiro / Semanário V
Fernando André Silva

Foi esta manhã assinado o protocolo entre a Associação Domingos de Oliveira Lopes (ADOL) e a Comissão Nacional da UNESCO, tendo em vista a criação de um clube UNESCO na Casa do Brinquedo e da Brincadeira, localizada em Vila Verde.

Este protocolo permite a criação de um clube que visa a defesa do património material e imaterial do brinquedo/brincar português. A assinatura, à qual a Câmara de Vila Verde se associou, foi levada a cabo pelo presidente da Comissão Nacional da UNESCO, embaixador Jorge Lobo Mesquita, e o presidente da direção da ADOL, professor Alberto Nídio Silva.

Posteriormente foi descerrada uma lápide na Casa do Brinquedo e Brincadeira e feita uma apresentação ao embaixador do percurso e objetivos da ADOL.

Ao Semanário V, o professor Nídio Silva aponta a “importância” da chancela da UNESCO neste projeto. “Será talvez a maior chancela que podemos dar a nosso trabalho. Trata-se de uma entidade que a nível mundial se dedica à preservação, divulgação e estudo com tudo o que tem a ver com o património da humanidade, e se norteia por princípios de paz com convivência entre os povos, e da luta sadia do local contra o global, não deixando que o global mate o local”, vinca.

Nídio Silva recorda o congresso realizado em 2017, que será transformado em um congresso internacional, com periodicidade bienal. “Fica o registo em primeira-mão de que o próximo será realizado em outubro de 2019”, aponta o dirigente ao Semanário V, revelando também a intenção de lançar um livro no início de 2019.

“Esperamos que no final deste ano, início de 2019, se faça a apresentação do Livro de Atas do primeiro congresso. Será uma obra monumental, uma pedrada no charco nesta matéria ao nível do panorama nacional. O congresso foi muito bem concorrido e os resultados foram extraordinários”, aponta.

O brinquedo, pela universalidade, e porque nos remete sempre para a infância e para as crianças, para aquilo que é a esperança do mundo. Todos começamos por aí e ao longo da existência guardamos a criança que um dia fomos e acompanha toda a vida. Acho que onde há crianças está a paz, a vontade do ser humano de lutar pelo progresso e lutar para que haja paz e os povos consigam viver em paz entre si. Se há plataforma de infância das crianças sem dúvida que é o brinquedo, e nenhuma marcará tanto a esperança como a infância”.

O futuro deste novo clube da UNESCO passa ainda por estudar, guardar e ter um local para a prática de jogos e brincadeiras de todos os tempos, “sobretudo infantis tradicionais”, esclarece Nídio Silva.

Fotos: Luís Ribeiro

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista