Destaque Vila Verde

Notícia sobre vereador do PS censurada no facebook da Câmara de Vila Verde

Imagem do Município de Vila Verde
Fernando André Silva

“Câmara censura oposição”. É desta forma que um vereador da Câmara de Vila Verde eleito pelo Partido Socialista (PS) apelida em comunicado a não colocação de uma notícia da imprensa regional na habitual “revista de imprensa”, levada a cabo diariamente nas redes sociais do Município de Vila Verde.

O comunicado refere que a notícia sobre o anúncio da requalificação da EN 101 na edição de quinta-feira no jornal regional Correio do Minho, não foi publicada pelo município, que habitualmente republica todas as notícias sobre Vila Verde publicadas naquele jornal.

José Morais, que foi também candidato à liderança do executivo pelos socialistas, aponta um “ato de absoluta censura” na página oficial da Câmara naquela rede social, referindo que foi publicada uma notícia com dois vereadores do executivo liderado pelo Partido Social Democrata (PSD), que estava na mesma página da notícia já referida.

Notícia censurada / enviada pelo PS Vila Verde

“Na sua edição de ontem, um jornal local na sua página 10, faz uma notícia sobre a requalificação da EN101 com a minha fotografia e, mesmo ao lado, uma outra notícia sobre uma atividade no concelho, atividade que merece o meu aplauso. Todavia, num ato de absoluta censura, na página oficial de facebook do Município de Vila Verde é publicada a página 10 desse jornal omitindo a notícia da requalificação da EN101, onde aparece a fotografia do vereador da oposição”, refere o comunicado assinado por José Morais.

O vereador questiona ainda “o que leva a câmara a censurar tal notícia”, “por que razão a câmara esconde na sua página a uma conquista do povo vila-verdense”, ou “por que razão a câmara esconde na sua página que o Governo investe 8 milhões na requalificação da EN101”.

“Será que fizeram a censura porque a notícia sobre a requalificação da EN101 é uma obra do governo PS com a minha fotografia e a outra notícia tem a fotografia de dois vereadores do PSD?”, questiona ainda José Morais.

Contactado pelo V, fonte do município que gere as redes sociais não comentou o caso.

“Autarquia subserviente ao poder central”

José Morais acusa a autarquia de ter sido “subserviente ao poder central” ao longo dos últimos 20 anos, referindo-se à tentativa de melhorar as vias de acesso concelhios, nomeadamente a EN 101.

“Hoje é claro para todos que o executivo PSD em Vila Verde ao longo dos últimos 20 anos não encarou os problemas das vias do comunicação como prioridade da sua ação. Basta ver o estado em que se encontram as estradas municipais. Também é claro que a autarquia foi subserviente ao poder central. Se o PSD estiver no governo, o presidente da câmara nada reivindica nem se lembra da necessidade de obras ou sequer da Variante”, acrescenta o socialista.

Exemplo de divulgação de trabalho de deputados PSD na página do Município de Vila Verde (enviado pelo PS Vila Verde)

“Assim, no momento em que o governo do PS anuncia a obra de requalificação da EN101 no valor de 8 Milhões de Euros, a câmara tenta esconder da população essa decisão e ‘apagar da fotografia’ os que lutam abertamente pela causa”, alerta o vereador, garantindo não estar preocupado com a fotografia. “Isso é o menos. Estou preocupado, e muito preocupado mesmo, com a censura. Censura que não se aplica, por exemplo, quando deputados do PSD fazem ações políticas no concelho que até merecem destaque nessa mesma página do Município de Vila Verde”, atira.

José Morais diz mesmo que “a censura é indiciador de uma forma de estar na vida pública que lembram outros tempos e quando levado para a ação do dia a dia muito penaliza os cidadãos, principalmente os menos protegidos”.

“Como eleito, tento desempenhar a funções de vereador da oposição de forma construtiva, ajudando o concelho, dentro do que é possível um vereador da oposição fazê-lo. Uma das minhas principais preocupações desde que fui eleito prende-se com o péssimo estado das estradas do concelho, quer elas sejam da responsabilidade da autarquia quer sejam da responsabilidade do poder central. Não desistirei desta luta”, assegura.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista