Braga Destaque

Braga. “Coletes amarelos” querem parar o Nó de Infias no dia 21

Grupo "CA - Braga" organizou colagem de cartazes na cidade de Braga / DR

O grupo de utilizadores que está a convocar um protesto para o próximo dia 21 através da rede social WhatsApp já tem local definido para a manifestação. O conhecido Nó de Infias, em São Vicente, habitual local problemático para o fluxo de trânsito, vai receber manifestantes a partir das 6h da manhã, ou pelo menos será essa a intenção de alguns utilizadores daquele grupo que já colaram cartazes no centro da cidade alusivos ao protesto, assim como faixas em algumas travessias aérea sobre estradas.

Querem combustíveis mais baratos, na sua grande parte, mas há quem queira o fim da imunidade parlamentar para processar os legisladores do país. Em comum, a vontade de parar Braga e contagiar outros insatisfeitos com o rumo do país. O pedido, que utilizem coletes amarelos durante o protesto, embora haja críticas no seio do grupo por ser “copiado” do protesto francês.

Grupo de WhatsApp serve para marcar espaço físico

No grupo onde se congemina esta manifestação, de nome “centro braga- coletes amarelos”, estão já mais de 300 utilizadores, mas a grande maioria permanece em silêncio. Através do grupo foi já marcada uma reunião para decidir pormenores para o protesto. Os manifestantes reúnem-se pelas 21h30 deste sábado junto ao edifício da Makro, em Lamacaes.

O grupo de Whatsapp foi criado por um utilizador com o nickname “SirenesBraga” e, para lá entrarem, os utilizadores prosseguem várias regras de acesso, incluindo a leitura de um código encriptado que apenas o telemóvel consegue ler.

No entanto, esse grupo está a ser amplamente divulgado através de outros grupos de Facebook relacionados com a atualidade rodoviária, como é o caso do “Moina na Estrada”, onde mais de 100.000 utilizadores têm acesso.

Paralelamente a este protesto, estão a ser marcados para o mesmo dia manifestações do género em Lisboa, Porto, Aveiro, entre outras cidades do país. Em semelhança, têm como objetivo “parar Portugal”, e pretendem cortar estradas e autoestradas em todo o país.

Este novo fenómeno no território nacional tem em vista seguir a linha utilizada pelos “coletes amarelos” em França, que cortaram várias estradas em protesto contra as políticas governamentais daquele país.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista

Acerca do autor

Paulo Moreira Mesquita

Paulo Moreira Mesquita

Diretor Semanário V