Braga

“Braga para Todos” apela aos bracarenses para irem ao circo sem animais de Braga

Circo / DR
Redação
Escrito por Redação

Braga para Todos pede aos bracarenses para irem ao circo que está instalado em Braga e não recorre a animais de forma a apoiarem esta decisão. Após Ricardo Rio indicar que o circo da cidade, uma parceria com o Pingo Doce não teria animais, o movimento político que o ano passado levantou esta questão e lançou uma petição pública, alerta, que agora é o momento de todos os que lutam contra o uso de animais para fins de entretenimento darem o seu apoio e irem com amigos e familiares ao circo instalado, este ano, nas mediações do estádio municipal.

O movimento político Braga para Todos lançou o ano passado uma petição acompanhada de emails dirigidos ao atual edil e à empresa detentora da marca Pingo Doce contra o circo destinado a crianças ter a presença de animais e ser uma forma de perpetuar o sofrimento animal e a ideia errónea que os animais existem para nos servir, o movimento que se apresenta como animalista e ambientalista afirma que é uma evolução, só lamentam Ricardo Rio, ainda, hesitar sobre a decisão como foi público nas suas declarações proferidas quando marcou presença no espetáculo que este ano chegará a 6000 mil crianças:

“O ano passado Ricardo Rio, que infelizmente está cada vez mais distante dos bracarenses e não consegue, ele, ou a sua extensa equipa responder aos bracarenses, quando no fundo partilhamos o mesmo objetivo, construir uma cidade melhor, optou por responder-nos através de um meio de comunicação a dizer que não ia proibir mas que seria normal os animais diminuírem, este ano, não sabemos se por decisão dele face a eleições próximas, ou decisão do Pingo Doce ou mesmo do circo instalado na cidade, soubemos, tanto pelas declarações do edil como dos pais de várias crianças que não há animais. No entanto, a resposta de Ricardo Rio a dizer que não há animais face a um repto da população com o que isso tem de bom ou de mau, mostra que o nosso presidente não tem ainda muita consciência sobre o que é o cativeiro de animais, e que por melhor que sejam tratados ali não é a casa deles, como os humanos os animais nascem livres, e sempre que lhe é condicionada a liberdade é unicamente por autoridade humana, no entanto, respeitamos a sua opinião pessoal e agradecemos publicamente a todos os que decidiram não usar animais nas sessões maioritariamente destinadas a um público mais jovem”

O movimento político, tal como explicita Elda Fernandes alerta, no entanto, que sabem que isto pode trazer consequências nefastas a nível de receitas, pelo menos nesta fase de transição onde ainda nem toda a população está consciencializada para o não uso de animais, por isso apelam a importância de quem é contra o uso de animais ir ao circo, mostrar que vão pela arte e estão com os artistas, como afirma: “ Tivemos o ano passado e este ano, a oportunidade de trocar algumas impressões com pessoas ligadas ao circo e queremos que fique claro que somos defensores da arte ciecense defendemos que os artistas tão negligenciados em Portugal tenham mais apoio, temos total consciência que é uma vida dura, com imensas horas de trabalho quer em treinos quer nos espetáculos, por vezes vários num dia, também sabemos que não são muitas vezes reconhecidos pelo seu talento e nisso estamos sempre com eles, a nossa única questão é não concordar com uso de animais, porque por melhor que sejam tratados, alimentados eles são manipulados e fazem coisas que são ações humanas e criadas por estes, não são parte da sua natureza, da sua espécie. No entanto, não somos inimigos o nosso movimento é na defesa de todos e não da parte, por isso fazemos o apelo a todos irem ao circo, isso sim é motivar os artistas e ajudá-los porque os bilhetes são a sua fonte de receitas” conclui.

O Braga para Todos conclui que muitos elementos do movimento vão ao circo e até com as famílias e vão mesmo promover o espetáculo nas suas redes sociais: “ Por vezes vemos uma luta de ativistas da causa animal contra quem vê as coisas de outra forma, o circo com animais é algo comum para a maioria dos portugueses, para muitas crianças pelo país afora foi a única vez que virão leões, por exemplo, portanto temos que ser construtivos e não agressivos uns com os outros, e a melhor forma é apoiar, tornar a adesão ao circo maior que nunca e tal como acontece em outras cidades do país, como o porto e do mundo mostrar que vamos ver talento humano, pessoas que escolheram aquela profissão e dão o seu melhor em palco e não animais que não tiveram opção.”

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação