Braga Destaque

“Coletes amarelos” podem cortar acessos de Braga a Vila Verde, avança a PSP

Foto: AFP
Fernando André Silva

A Polícia de Segurança Pública (PSP) de Braga alerta para eventuais condicionamentos e cortes no trânsito nas artérias adjacentes ao Largo e Nó de Infias, devido ao protesto dos “coletes amarelos” marcado para aquele local, a partir das 6 horas da próxima sexta-feira.

Aquela polícia alerta os automobilistas para procurarem “trajetos alternativos” devido à probabilidade de serem cortadas as vias adjacentes aquele espaço, nomeadamente a Av. António Macedo, mas também a EN 101 e a Variante do Cávado. Estas duas ligam Braga a Vila Verde.

Em comunicado daquela força é apontada a realização de uma “concentração/manifestação, devidamente comunicada e aceite pela Câmara de Braga, sobre o tema ‘Coletes Amarelos Vamos Parar o Minho’, que decorrerá no Nó de Infias”, como avançado em exclusivo pelo Semanário V.

Grupo “CA – Braga” organizou colagem de cartazes na cidade de Braga / DR

O comando distrital daquela autoridade alerta para os “condicionamentos/cortes” de trânsito que se poderão verificar em “todas as artérias adjacentes ao Largo e Nó de Infias”.

“Nomeadamente na EN 101 e Variante do Cávado em ambos os sentidos, bem como na Avenida António Macedo também em ambos os sentidos”, refere aquela polícia.

No mesmo comunicado, a PSP de Braga aconselha os automobilistas a planearem as suas deslocações, de forma a “procurarem trajetos alternativos, bem como a acatarem as indicações dos agentes de autoridade que se encontrarão no local”.

Este protesto foi convocado através da rede social WhatsApp, e os utilizadores já reuniram fisicamente e colaram cartazes no centro da cidade alusivos ao protesto, assim como faixas em algumas travessias aérea sobre estradas. Como forma de “antecipação”, combinaram colocar coletes amarelos nos tablieres dos carros durante os dias que antecedem a manifestação.

Grupo do Whatsup “Centro Braga C.A.” © DR

Querem combustíveis mais baratos, o fim do imposto único de circulação e outras taxas que “não fazem sentido”, mas há quem queira o fim da imunidade parlamentar para processar os legisladores do país ou quem defenda a legalização total do Tuning.

Em comum, têm a vontade de parar Braga e contagiar outros insatisfeitos com o rumo do país. O pedido, que utilizem coletes amarelos durante o protesto, embora haja críticas no seio do grupo por ser “copiado” do protesto francês.

Grupo de WhatsApp serve para convocar protesto

Cerca de 30 utilizadores do grupo reuniram-se pelas 21h30 do passado sábado no parque de estacionamento da Makro, em Lamacaes.

O grupo de Whatsapp foi criado por um utilizador com o nickname “SirenesBraga” e, para lá entrarem, os utilizadores prosseguem várias regras de acesso, incluindo a leitura de um código encriptado que apenas o telemóvel consegue ler. Elementos do órgãos de polícia criminal seguiram as movimentações do grupo desde uma fase inicial.

Paralelamente a este protesto, estão a ser marcados para o mesmo dia manifestações do género em Lisboa, Porto, Aveiro, entre outras cidades do país. Em semelhança, têm como objetivo “parar Portugal”, e pretendem cortar estradas e autoestradas em todo o país.

Este novo fenómeno no território nacional tem em vista seguir a linha utilizada pelos “coletes amarelos” em França, que cortaram várias estradas em protesto contra as políticas governamentais daquele país.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista