Andreia Santos Opinião

Opinião. “Coração Aberto”

Andreia Santos
Escrito por Andreia Santos

Feliz Ano Novo a ti. Começo Janeiro a escrever-te. Pela primeira vez registei na data 2019. Qual é o teu sentimento ao fazeres isto? Presumo que ainda não tiveste tempo, hoje é dia de descanso e por isso deixo-te a sugestão da avaliação para quando o fizeres. Na maioria das vezes, a emoção é vibrante e estamos otimistas no início do capítulo seguinte das nossas vidas. Quero divagar sobre o que virá, em especial, quero hoje pedir-te para que transformemos, pela experiência do que já passou e com os novos conhecimentos que chegarão, as nossas vivências nas 365 oportunidades que se seguem.

Nos últimos dia de Dezembro foi bom de constatar que “é bom encontrar-me cada vez mais e sem defesas entre pessoas de diferentes nacionalidades. O carácter multicultural dos nossos dias é uma das maiores dádivas do presente”, já o havia dito e volto a afirmar. Embora no mundo exista quem goste de ver arame farpado, é também por causa desses que considero importante dar o nome de Ano da Curiosidade a este que agora começa.

Não me parece que possamos fugir de compreender que há mais pessoas que se deslocam do país de origem para trabalhar, estudar, fugir a conflitos ou reencontrar-se com familiares. Estas, (que poderás ser tu), passam por desafios. Existe um fenómeno estudado ao qual chamamos de choque cultural. Só com inclusão, verdadeiro interesse em ouvir, conhecer e conversar sobre a sua cultura e valores (aparentemente diferentes, mas iguais na profundidade) se poderão ultrapassar fronteiras e construir de facto um futuro sorridente. “Fomos, (diria somos), seduzidos pela distração e assim afastados das coisas que podem enriquecer as nossas vidas”, (Goleman, 2018). É necessário treinar “a propensão para suspender o julgamento”, eliminar os estereótipos para que a Inteligência Cultural se torne na “nova forma de pensar a eficácia global”.

Enquanto seres humanos temos uma tendência a ser seletivos na empatia, porque normalmente há realidades que desconhecemos. Esta incapacidade em reconhecer e lidar com a diferença é produto da ignorância e nada mais que isso. Assim nascem os preconceitos e as nossas limitações. Será a Empatia em conjunto com o Conhecimento dos Outros que trará a Moralidade, os princípios certos e uma sociedade bem sucedida. De acordo com a Sociedade para a Gestão de Recursos Humanos, cerca de 7 em cada 10 possibilidades de negócios internacionais falham devido a diferenças culturais. Ser-se Culturalmente Inteligente é algo que não poderá ser esquecido e em termos simples significa “saber como pensar e agir num ambiente complexo/diverso”, os novos recrutamentos farão este diagnóstico ao candidato/a.

“Por sermos diferentes crescemos porque nos entendemos como iguais.” Não precisamos de voar Kms de distância para entender que a Inteligência cultural não é uma opção, mas uma escolha no quotidiano. Construir um mundo justo nas ações não implica que sejamos especialistas em todas as culturas, mas saber Observar e Conhecer, usando a nossa competência para ler os indivíduos e situações, tomando decisões informadas acerca do porque é que os outros estão a agir de determinada forma. Elizabeth Gilbert, autora do livro “Big Magic, vida criativa sem medo” e do outro mais conhecido “Eat, Pray, Love”, disse em entrevista há pouco: “Creio que a definição de uma pessoa intressante é a de uma pessoa interessada. Nunca conheci nenhuma pessoa interessante que não fosse também uma pessoa interessada.” E assim te desafio: queres ser um agente de mudança? Abre o teu Coração, torna-te curioso (a) (ou ainda mais do que o que és), que é como quem diz interessante, em 2019! Serás alguém que os outros irão gostar de ter por perto e conhecer e ainda por cima tornas-te melhor, aumentando a probabilidade de seres feliz. Até já, em Fevereiro!

Comentários

Acerca do autor

Andreia Santos

Andreia Santos

Psicóloga Clínica e da Saúde Formadora Profissional