Destaque Vila Verde

Prado. Feira dos Vinte passa a ter uma confraria gastronómica

Fernando André Silva

A Feira dos Vinte da Vila de Prado vai passar a contar com uma confraria a partir do próximo sábado, sabe o Semanário V.

A organização, de nome “Confraria Gastronómica das Provas da Feira dos Vinte”, será composta por 20 confrades, que assumem a confraria já a partir de sábado, na Capela de São Sebastião, no centro da vila pradense.

Fonte da futura confraria explicou ao V que esta confraria, apadrinhada pela Confraria do Galo de Barcelos, nasce através de um grupo de amigos que têm a tradição de, no dia 19, juntarem-se à mesa para provar papas de sarrabulho e vinho tinto verde. “É uma ideia que vinha a ser maturada e decidimos avançar este ano, até porque o próprio ano tem uma carga simbólica com o 20 e o 19, as datas desta feira ancestral”, explica fonte da futura confraria.

A mesma fonte indica que apenas um dos 20 elementos não é da Vila de Prado, mas é alguém que, à semelhança dos restantes, tem uma “forte participação” neste evento desde há décadas. “Esse foi o requisito para selecionarmos os 20 elementos”, explica, revelando que “dois desses elementos são instituições – Junta de Freguesia, representada pelo autarca Albano Bastos, e pela paróquia, representada pelo padre João.

Está nos intentos da confraria ser “uma espécie de embaixadores” daquela feira durante todo o ano. “Vamos ser convidados por outras confrarias da região e do país e queremos estar lá, com o nosso traje, para promover a feira”, explicam.

Foi também revelada a iguaria que fará parte desta confraria gastronómica – as papas de sarrabulho. “Estará nos nossos regulamentos a descrição de como preparar as papas de sarrabulho, que se passam a chamar “papas à moda dos vinte”.

Explica ainda que o traje será composto por uma capa antiga, de cariz português, com uma fazenda castanha e espessa “porque a altura da feira é no inverno”. “É uma capa típica dos antigos negociantes de animais”, explica. Na parte de cima do traje há uma aba com contorno roxo que representa a cor do vinho verde tinto. Há ainda um medalhão em bronze com sete centímetros de diâmetro com o logotipo da confraria, e uma boina típica dos negociantes de gado.

O traje inclui ainda uma vara de madeira com São Sebastião esculpido no topo.

A entronização dos confrades decorre este sábado, pelas 17h30, na Capela de São Sebastião, em Prado.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista