Braga Destaque

Política. JSD Braga manifesta-se sobre atraso nas bolsas de estudo

João Freitas Alcaide (JSD Braga)
Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

 

A Concelhia de Braga da Juventude Social Democrata (JSD Braga) veio a público, no seguimento das notícias que indicam que, aproximadamente, 1200 estudantes da Universidade do Minho aguardam resposta aos respetivos pedidos de bolsa de estudo. No âmbito nacional este número ascende a 17 000 alunos.

O presidente da JSD Braga, considera que “é absolutamente injusta, e até imoral, a forma como o ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Manuel Heitor, tem tratado as questões da ação social”. Referiu, também, que “é inadmissível que o ministro, há poucos dias, na Convenção Nacional do Ensino Superior, tenha aventado o fim das propinas num prazo de 10 anos, quando à data de hoje não é capaz de oferecer resposta aos pedidos de bolsa de estudo de milhares de estudantes, não salvaguardando a frequência do ensino superior em condições de igualdade.”

João Freitas Alcaide garante que, no final de novembro de 2018, a JSD exigiu a Manuel Heitor esclarecimentos acerca da redução do número de bolsas de estudo atribuídas, “designadamente em relação ao ano de 2017, bem como ao atraso verificado nessa mesma atribuição”. Em comunicado à redação, acrescenta que em Janeiro de 2019 “e a poucos dias do fim do 1.º semestre letivo, milhares de alunos continuam à espera” de uma resposta do ministro aos seus pedidos.

No ano letivo 2017/2018, cerca de 6000 estudantes foram abrangidos por bolsas de estudo. O presidente da JSD Braga continua, ressaltando que “esta é, lamentavelmente, uma realidade bastante gravosa para os estudantes e as suas famílias, tomando em consideração os custos substanciais associados à frequência do ensino superior, das propinas ao alojamento, da alimentação aos transportes, passando evidentemente pelo material escolar”. Acrescenta, declarando que “é inconcebível que estas circunstâncias se arrastem até ao início do 2.º semestre”.

Nas palavras de João Freitas Alcaide, “é profundamente preocupante que, em dezembro de 2018, tenham sido pagas 50 502 bolsas de estudo, quando no período homólogo do ano transato foram pagas 54 874, isto é, menos cerca de 4500 bolsas pagas em 2018”.

A JSD, no final de outubro de 2018, anunciou, simbolicamente, o arrendamento de quartos a estudantes na Sede do Partido Socialista, assim como toda uma série de propostas para o alojamento estudantil.

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista

Deixar um comentário