Braga Desporto Destaque

António Salvador está “barado”. “O árbitro é mau e não vale nada”

Fernando André Silva

António Salvador continua “barado” com a prestação das arbitragens e do videoárbitro (VAR). Após a derrota desta noite na meia-final da Taça da Liga, o presidente bracarense, na zona mista do Municipal de Braga, fala em “arbitragem fraca e sem categoria nenhuma”.

Um golo anulado ao Sporting Clube de Braga está a indignar adeptos, treinador e dirigentes braguistas durante a segunda-meia final da Taça da Liga contra o Sporting CP, que se disputou no Estádio Municipal de Braga.

Manuel Oliveira anulou o golo de João Novais por alegada falta de Dyego Sousa sobre Acuña, no início da jogada. Mas os adeptos não concordaram e os protestos são muitos através das redes sociais, contestando a decisão do árbitro da partida e do “videoárbitro”.

O jogo terminou empatado a uma bola, com os leões a apurarem-se para a final após disputa de grandes penalidades.

António Salvador: “Hoje disse que tinha sido nomeada uma equipa de arbitragem sem qualquer internacional e não foi inocência minha. Foi uma arbitragem fraca e sem categoria nenhuma. Quando se anula um golo por uma falta do Dyego Sousa sobre o Acuña, tenho que dizer que este árbitro foi fraco enquanto jogador e enquanto árbitro é muito fraco. Está a acabar a carreira e não vai ser internacional. Não teve coragem. Árbitro mau e que não vale nada. Os nossos adeptos fizeram um grande esforço para cá vir apoiar a equipa. Tiveram em campo uma equipa digna para vencer. Infelizmente, era para eles que deveria só falar mas não é possível”.

Ainda esta tarde, o presidente do SC Braga confessou estar “barado” com a prestação do VAR durante a primeira meia-final, após golo anulado ao Benfica, decisão que gerou polémica.

Também Abel Ferreira, treinador do Braga, lamenta a análise ao golo anulado após decisão do VAR. “Tirem o VAR, por favor! Se é para fazer isto, tirem o VAR”, disse na zona mista.

Abel Ferreira: “Deixem os árbitros errar à vontade, deixem-me errar à vontade, deixem os jogadores errar à vontade. Porque com o VAR e com o erro fica difícil para quem está em casa perceber o erro. Quando tenho acesso ao VAR e vejo uma coisa ontem e outra hoje, por favor desliguem. E outra: não metam linhas. Se o VAR não tem linhas, não metam linhas para quem está em casa, porque isso confunde as pessoas”.

Já João Novais, autor do golo anulado pelo VAR, disse que “sto não é basquetebol, é futebol e toda a gente viu o que aconteceu”.

João Novais: “Houve milhares de lances assim em que não foi assinalada falta por isso considero que foi uma injustiça. Nós é que quisemos ganhar o jogo. Criámos mais oportunidades por isso ficou este sentimento de injustiça”.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista