Braga Destaque

‘Braga para Todos’ diz que EB1 de Esporões não tem condições de funcionamento

Redação
Escrito por Redação

O movimento político Braga para Todos acusa o Município de Braga do atraso das obras na escola EB1 de Esporões e pede a Ricardo Rio esclarecimentos e datas concretas.

A critica passa pela não colocação da climatização, por parte do executivo, sujeitando as crianças a aquecedores, refere o comunicado do Braga para Todos, acrescentando que o quadro elétrico não tem capacidade para os aquecedores ligados em simultâneo, estando as crianças obrigadas a passar frio.

O Braga para Todos denuncia, ainda, a situação de mais de 60 crianças que frequentam a nova escola EB1 de Esporões, que passaram mais de dois anos com aulas em contentores e têm, agora, acesso a uma escola com uma obra que ainda não terminou.

Elda Fernandes reforça a importância destas obras, afirmando que, desde o início deste ano letivo, têm acompanhado “a paciência destes pais ao verem os filhos a terem como experiência de uma escola primária  improvisada em contentores sem recreio”. Acusa, ainda, o facto das crianças com idade entre os 6 e os 9 anos terem sido sujeitas a “percorrer uma distância considerável para almoçar sob chuva e frio”.

A ativista política acrescenta que foi um choque “ouvir pais relatar que os filhos tinham que levar dois pares de sapatos nos dias de chuva, pois eram obrigados a trocar após o almoço”. Desta forma, o movimento político afirma que “em Portugal a escola é um direito e significa muito além de um espaço, muitas crianças estão na terceira classe e conhecem uma escola há menos de 15 dias, e porque os pais agiram e fizeram pressão, senão tudo estaria igual”.

Segundo o movimento, os encarregados de educação denunciaram estas falhas e fizeram chegar a informação. “O que nos transmitem é que as crianças têm que almoçar com vários agasalhos, as salas de aula são frias e já um número considerável de crianças contraíram gripe, obrigando a faltar às aulas e a pôr em causa o rendimento escolar”, denuncia Elda Fernandes, relembrando que “os bracarenses não ouviram ainda uma explicação plausível de Ricardo Rio para não colocar já a climatização, porque é algo simples que pode ser feito como os pais sugerem em: período pós-laboral ou fins-de-semana, só falta a vontade.”

Também a falta de limpeza da escola é outra das queixas do Braga para Todos. “Foi nos indicado que a escola no dia 14 de janeiro, a data prevista para entrega depois de todos os atrasos estava lastimável, com pó, manchas no chão, cheiros intensos referentes a produtos usados para as obras  e passando 15 dias ainda não foi feita uma limpeza profunda”, termina a ativista.

 

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação