Destaque Vila Verde

Passadeiras elevadas não estão sinalizadas por “motivos climatéricos”, diz Câmara de Vila Verde

Passadeira elevatória sem marcação © FAS / Semanário V
Fernando André Silva

As 40 lombas e passadeiras elevadas que estão a ser construídas no centro de Vila Verde e que têm causado transtorno e até alguns prejuízos materiais aos automobilistas ainda não estão sinalizadas por “condições climatéricas adversas”, anunciou hoje o Município de Vila Verde.

Em comunicado divulgado através do site oficial da autarquia, é referido que, no âmbito da empreitada da ciclovia urbana, está em execução “uma rede de passadeiras elevadas que permitirão a circulação harmoniosa das bicicletas em todo o trajeto da ciclovia”. São também, segundo o município, uma forma de assegurar a “mobilidade de pessoas em cadeiras de rodas ou com mobilidade reduzida”.

Segundo o mesmo comunicado, a ciclovia estende-se em uma “rede de praticamente 7 quilómetros” e a mesma está inserida em um plano da autarquia para “melhorar a mobilidade urbana através do estímulo à utilização de um meio de transporte menos poluente”.

Ainda sobre as passadeiras elevadas, refere a Câmara, de maioria PSD, que estão a ser implementadas para “aumentar as condições de segurança rodoviária”, permitindo a “diminuição da velocidade de circulação no centro urbano de Vila Verde”.

Espera a autarquia mais condições para a “coexistência entre peões e veículos, melhorando a circulação com mobilidade condicionada e sobretudo a diminuição drástica da sinistralidade”.

“Em breve, quando a empreitada estiver totalmente finaizada, todos (…) poderão usufrurir de mais e melhores condições de circulação, através de alternativas viáveis para uma circulação cómoda e segura que estimulará, também, a prática de exercício físico”, finaliza o comunicado.

Sobre a ciclovia, diz a Câmara de Vila Verde que está inserida em um “plano alargado da governação central que pretende a edificação de vias urbanas modernas, com elevada funcionalidade e segurança, visando acrescentar também um importante valor ambiental, uma vez que têm como objetivo a diminuição da emissão de gases poluentes”.

“Esta empreitadas visam também melhorar a mobilidade dos centros urbanos concelhios, proporcionando assim alternativas viáveis para a circulação cómoda e segura das pessoas e constituindo igualmente um forte incentivo à prática de exercício físico, ao mesmo tempo que oferece uma melhor fruição dos espaços e equipamentos urbanos”, diz a Câmara.

“A obra da ciclovia urbana (…), que contempla também a requalificação de vários passeios pedonais, encontra-se, neste momento, em fase final de execução, prevendo-se a conclusão da empreitada até ao início da primavera”, finaliza.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista