Braga Destaque

Software de arquivo desenvolvido em Braga é o melhor da União Europeia

© Comissão Europeia
Redação
Escrito por Redação

A Comissão Europeia classificou como melhor software de gestão de arquivo o Archeevo, criado pela Keep Solutions, uma spin-off da Universidade do Minho. Esta tecnologia de Braga sobressaiu na análise de diversos critérios, superando os softwares concorrentes ArchivesSpace (EUA), AtoM, Cuadra Star, Eloquent Archives (todos do Canadá), Axiell CALM (Suécia/Reino Unido), scopeArchiv (Suíça) e Archidoc (Polónia). Os dados constam do relatório “Standard-based archival data management, exchange and publication”, do Programa ISA2 da Comissão Europeia, que apoia soluções digitais e dá suporte a administrações públicas, empresas e cidadãos para beneficiarem de serviços transfronteiriços e interoperáveis no espaço europeu.

A análise teve em conta as melhores práticas do setor, seguindo normas do Open Archival Information System e procedimentos dos Arquivos Históricos da Comissão Europeia, dos Arquivos Nacionais do Reino Unido e do projeto científico europeu E-Ark. A performance do Archeevo destaca-se em particular por suportar milhões de registos e terabytes de ativos digitais sem quebra na performance, bem como pela sua capacidade de configuração, de automatizar processos complexos, de publicar online de modo simples, de compatibilizar-se com outros portais e de garantir a segurança da informação. Em Portugal, por exemplo, serve a Presidência da República, vários ministérios incluindo o da Defesa, Administração Interna, Economia, Educação e Ciência, várias fundações, universidades e dezenas de municípios, entre outras instituições de referência.

“Estamos muito contentes com esta distinção da Comissão Europeia. É muito gratificante pois mostra que estamos no caminho certo e valoriza o trabalho feito por esta spin-off da UMinho. Além disso, prova que Portugal continua a dar cartas no estrangeiro”, refere o diretor executivo da Keep Solutions, Miguel Ferreira.

Esta jovem empresa que nasceu há dez anos por docentes e ex-alunos da UMinho, situada perto do campus de Gualtar, desenvolve soluções avançadas para gestão de informação e preservação digital. Além dos projetos próprios, participou no Repositório Científico de Acesso Aberto de Portugal, que tem meio milhão de documentos de instituições de ensino, no Portal Português de Arquivos, com cerca de quatro milhões de registos de arquivos nacionais, e nos projetos europeus SCAPE, 4C, EARK e E-ARK4ALL, tendo parceiros como as Bibliotecas Nacionais da Holanda, Áustria e Dinamarca, a British Library, a Microsoft Research e vários arquivos nacionais europeus.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação