Braga Destaque

Caminhada solidária para ajudar doente oncológico de Palmeira

Redação
Escrito por Redação

A família de Carlos Fernandes, residente em Palmeira e vítima de doença oncológica, está a pedir ajuda para uma cama e um elevador adaptados à nova realidade do antigo eletricista bracarense que sofreu ainda um AVC.

Várias associações responderam ao repto lançado pela família através das redes sociais e estão a organizar uma caminhada solidária para o próximo dia 24 de fevereiro, um domingo, onde o preço das inscrições reverte na totalidade a favor da família de Carlos Fernandes.

Braga para Todos, Associação Juvenil de Gualtar, Associação Abandoned Pets e o Núcleo Antifascista de Braga são as associações que estão a organizar esta caminhada, que terá saída pelas 9h, no Largo da Senhora-a-Branca.

O movimento político “Braga para Todos”, uma das associações da organização, apela ao apoio “crucial” dos bracarenses e diz que o Estado “falha redondamente”.

“Mais uma vez, perante este caso, deparamo-nos com falha no esclarecimento a esta família, porque nem a Segurança Social, nem a junta freguesia os encaminharam para a respetiva IPSS para terem direito ao respetivo apoio”, acusa o movimento, apelando à “urgência na criação da figura formal do cuidador”.

O movimento refere que está a “acompanhar a situação junto da filha, Ângela Pinto”, mas apela à ajuda de todos através da página de Facebook “Vamos apoiar o Carlos”.

Carlos Fernandes, eletricista de profissão, viu-lhe ser diagnosticado cancro nos pulmões e nos ossos, na sequência de “uma gripe que não passava”, há cerca de um ano. Foi submetido a um tratamento inovador, ao qual se seguiram desmaios e, em junho, um AVC, que provocou hemorragia grave, paralisação do lado direito do corpo e afetação da fala. Recebe 300 euros de reforma, sendo que a condição financeira agravou-se.

“Esta caminhada não vai resolver o problema, mas queremos, pelo menos alertar as pessoas para a necessidade de intervenção no nosso sistema nacional de saúde”, refere o movimento, pedindo “mais apoio financeiro e especializado para estas pessoas”.

“Vamos também acompanhar se estão a ter todo o apoio disponível pelo estado, porque há centenas de apelos deste género, e não podemos continuar parados a pensar que só acontece aos outros, e mesmo o que acontece aos outros é responsabilidade nossa, de todos”, vinca o Braga para Todos.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação