Destaque Vila Verde

Vila Verde. Comerciantes e populares dão “ganda like” à rotunda da Loureira

Alfredo Silva © FAS / Semanário V
Fernando André Silva

A famigerada rotunda da Loureira já está concluída e os elogios multiplicam-se à empreitada levada a cabo pelas Infraestruturas de Portugal para melhorar a circulação rodoviária e para promover a segurança pedestre naquele local onde muitos já perderam a vida fruto de acidentes com o trânsito.

O Semanário V esteve à conversa com comerciantes e populares que habitam as imediações da nova obra e todos eles foram unânimes: a rotunda é mais valia para todos.

Rotunda da Loureira © FAS / Semanário V

Adolfo Silva, da mercearia Prim, diz mesmo que esta “foi a melhor coisa que construiram na Loureira nas últimas décadas”. O acarinhado comerciante, que tem porta aberta há várias décadas, realça que o trânsito está a ter maior fluidez e que os passeios construídos ajudam em muito ao comércio. “Tivemos alguns problemas durante a construção porque os clientes não podiam estacionar mas agora ficou tudo muito melhor”, diz, deixando, no entanto, um apelo. “Eu não falei nada na altura mas acho que podiam ter colocado aqui uma passadeira, uma vez que é sítio de paragem de autocarro e tem a mercearia também”, diz o dono do espaço situado antes da rotunda, de quem vem no sentido Soutelo – Vila Verde.

Adolfo Silva © FAS / Semanário V

Também José Augusto, morador da rua 25 de Abril, aponta a nova rotunda como “muito bem construída” e deixa elogios à firma Duque & Duque, autora da obra. “Pensaram em tudo, até este passeio faz um ligeiro desvio para que os automobilistas que vêm de Braga para Vila Verde não atravessem a rotunda sem abrandar”, diz o morador, apontando ainda maior fluidez no trânsito de quem vem de Turiz ou, do lado oposto, do centro da Loureira. “Passavam aqui muitos carros e não deixavam entrar à estrada. Agora todos entram na sua vez e já não se formam tantas filas”, diz ainda.

José Augusto © FAS / Semanário V

Já o propretário de um espaço comercial, que preferiu não ser identificado, também concorda que a rotunda foi uma mais-valia para os habitantes daquele local e, sobretudo, para os automobilistas da EN101. No enanto, acha que a rotunda não irá resolver o problema das filas no verão, com o regresso dos emigrantes.

“Objetivo conseguido!”

Também a Junta de Freguesia da Loureira veio a público, através das redes sociais, manifestar “orgulho” pela construção, apontando que este foi “um objetivo conseguido”. Em publicação através das redes sociais, a autarquia agradece a “todos que ao longo de dez anos lutaram e acreditaram que era possível, deixando também um recado “aos que não acreditaram”. “Agora reconhecem que é a melhor solução”, aponta a junta.

A mesma publicação relembra ainda “os que sofreram ao longo destes anos pela falta de segurança neste cruzamento”.

No entanto, o esquecimento do Governo no agradecimento público da Junta da Loureira não agradou ao líder do Partido Socialista (PS) na Assembleia Municipal de Vila Verde, deputado Martinho Gonçalves, que achou “estranho” a “ausência do agradecimento, por muito pequeno que fosse, a quem decidiu e implementou a obra (…), ou seja, ao Governo de Portugal”.

Martinho Gonçalves aponta ainda que “muitos antes prometeram e só este, o governo do Partido Socialista, realmente fez a obra”.

Batalha antiga na esfera política

Apesar da construção da rotunda, é já antiga a “batalha” da Junta da Loureira com os sucessivos governos para avançar com a requalificação, parcial ou total, do troço da EN 101 que atravessa a freguesia.

Este novo avanço da rotunda surgiu após várias reuniões do presidente da Junta da Loureira e do vereador do PS de Vila Verde, José Morais, junto de membros ligados ao Governo, primeiro com o deputado Joaquim Barreto e depois, em conjunto com o autarca de Soutelo, Filipe Silva, com o próprio secretário de Estado das Infraestruturas, que apontou o verão de 2017 para anúncio da obra. No entanto, teve início um ano depois.

Também o PSD de Vila Verde reuniu com os autarcas das freguesias atravessadas pela Nacional 101, reunião essa com o simbolismo de se realizar na sede de junta, na Loureira, reinvindicando não só a rotunda mas toda a requalificação da estrada que atravessa o concelho e a construção de uma variante.

Este ano, em sessão plenária na Assembleia da República, o deputado do PSD, Rui Silva, acusou o ministro Pedro Marques, responsável pelas Infraesruturas de Portugal, e os governos PS de fazerem “bola” por Vila Verde. Na resposta, o ministro adiantou que já estava em construção a rotunda da Loureira, e que os governos PSD é que fizeram “bola” por Vila Verde.

Já em 2019, o vereador socialista em Vila Verde, José Morais, anunciou que o Governo irá avançar com a requalificação da EN 101 durante o próximo ano. Será uma “grande reparação” do troço da Estrada Nacional (EN) 101 que atravessa o concelho de Vila Verde, em investimento de oito milhões de euros.

A garantia foi dada pelo próprio Guilherme d’Oliveira Martins, secretário de Estado das Infraestruturas, numa reunião proporcionada pelo coordenador dos deputados do Partido Socialista (PS) pelo Distrito de Braga, Joaquim Barreto, com o vereador do Partido Socialista (PS) de Vila Verde, José Morais, e o presidente da Junta de Soutelo, Filipe Silva. Na mesa estiveram dois assuntos na agenda: a requalificação da EN 101 e a construção da variante à mesma estrada.

A requalificação deverá arrancar ainda durante o ano de 2019, sendo o concurso público lançado a breve prazo, anunciou ainda aquele governante, revelando que o total de investimento nesta empreitada deverá rondar os 8 milhões de euros.

Já a construção da variante não tem data definida, mas foi incluída no Plano Nacional de Investimentos do Governo para a próxima década. A obra terá de avançar entre 2019 e 2029, caso o mesmo plano não seja revogado entretanto.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista

Deixar um comentário