Braga Destaque

Braga. Liga Contra o Cancro reconhece legitimidade de presidente de junta

Edíficio da Junta da Sé em Braga
Fernando André Silva

Fátima Soeiro, coordenadora da delegação de Braga da Liga Portuguesa Contra o Cancro, diz reconhecer legitimidade do presidente da junta da União de Freguesias de Maximinos, Sé e Cividade para não renovar o contrato de cedência de instalações de três salas situadas num piso superior do edifício da Junta da Sé, no centro de Braga.

Ao Semanário V, a coordenadora nega as declarações de Luís Pedroso, também ao Semanário V, no passado sábado, em que o autarca manifestava “espanto” por esta coordenadora não lhe reconhecer legitimidade para não renovar o contrato, na sequência de uma notícia publicada no jornal Correio do Minho.  Fátima Soeiro esclarece que “nunca disse que ele não tinha legitimidade, bem pelo contrário, está explícito que aquilo que referi foi que ele tem toda a legitimidade”. A coordenadora confirma ainda a reunião marcada para o próximo dia 14 de fevereiro, com Luís Pedroso e Firmino Marques, vice-presidente da Câmara de Braga, para tentar chegar a um acordo.

Recorde-se que a junta de freguesia enviou recentemente uma carta a indicar que o contrato não seria renovado. Ao Semanário V, Luís Pedroso apontou “elevadas despesas” daquela delegação sem que a autarquia receba qualquer verba. O mesmo autarca disse que, em 2014, foi feita uma reunião com a associação para que esta pagasse uma renda de 100 euros e desocupasse uma das três salas que ocupam. Fátima Soeiro disse hoje ao Semanário V que, na altura, a associação não tinha verba “para pagar 1 euro, quanto mais 100”. No entanto, mostra-se agora disponível para pagar o montante de 100 euros por mês, mas não abdica das três salas que aquela delegação ocupa.

Segundo Fátima Soeiro, a associação recebe 62 utentes em consulta de apoio psicológico derivado a doença oncológica e doze utentes em sessões de terapia de Reiki. “Esperamos poder conversar como pessoas civilizadas e arranjar uma solução. Não estamos aqui de pedra e cal, mas necessitamos de uma alternativa igual para saírmos”, esclarece. A delegação tem, nas palavras da coordenadora, dez elementos ativos, incluíndo terapeutas e duas psicólogas que são pagas pelos fundos angariados pela associação.

NDR: Na entrevista com o presidente de junta em questão publicada a 9 de fevereiro, foi erradamente atribuído a Fátima Soeiro declarações de que a mesma não reconhecia legitimidade a Luís Pedroso, que não correspondem à verdade. À visada e aos leitores as nossas desculpas.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista