Amares Destaque

Amares avança com construção de canil em Dornelas

SONY DSC
Redação
Escrito por Redação

O futuro Centro de Recolha Oficial (CRO) de Animais de Companhia de Amares, vulgarmente designado por canil, ficará sediado no futuro Centro de Valorização Ambiental de Amares, na freguesia de Dornelas, e promete ser um exemplo de sustentabilidade. Este equipamento estará em linha com as mais recentes diretrizes ambientais sendo o primeiro canil, em Portugal, a responder aos desafios da economia circular, transformando-se também num espaço de educação ambiental.

Manuel Moreira, Presidente da Câmara Municipal de Amares, visitou esta semana o espaço com o vereador do Ambiente, Vitor Ribeiro, e o Presidente da Junta de freguesia de Dornelas. Visivelmente satisfeito o autarca expressou o seu contentamento para com o projeto “estamos muito satisfeitos porque este projeto, para além de inovador e de colocar Amares na rota da sustentabilidade, estará enquadrado harmoniosamente com o espaço natural. Este espaço permitirá dar dignidade aos animais de rua e também será uma alavanca para os processos de educação e sensibilização ambiental, de envolvimento da comunidade”. Na mesma linha, o presidente da Junta de freguesia de Dornelas manifestou a sua satisfação para com a atratividade que o projeto poderá potenciar, destacando o facto deste ser “uma referência que vai contribuir para dinamizar o Centro de Valorização Ambiental de Amares e atrair visitantes para desfrutar do parque”.

Centro de Recolha Oficial (CRO) de Amares terá sistema inovador

O futuro CRO estará em linha com as mais recentes diretrizes ambientais sendo o primeiro canil, em Portugal, a responder aos desafios da economia circular, transformando-se também num espaço de educação ambiental.

Nesse sentido, Manuel Moreira, visitou a empresa PhytoClean, sedeada na freguesia de Figueiredo. A PhytoClean é uma empresa de cariz ecológica e ambiental, estabelecida no concelho de Amares, que se dedica à produção de plantas aquáticas com características depuradoras. Segundo Patrícia Gomes e Joel Castro, promotores da empresa, o sistema para o tratamento dos efluentes do CRO de Amares recorrerá a uma fito-etar que irá utilizar diferentes espécies de plantas autóctones para realizar o seu tratamento “A eficácia deste processo natural é desencadeado pelas raízes das plantas, que contribuem para a redução e eliminação dos elementos poluentes. Assim, evita-se a utilização de produtos químicos para o tratamento destas águas, como ocorreria de forma convencional. Este tipo de sistema, para além de desempenhar funções biológicas, auxiliando na depuração da água, permite, também uma excelente integração paisagística e de valorização ornamental do próprio espaço. A água tratada será posteriormente reaproveitada para as operações de limpeza do Canil/gatil.”

O canil municipal será um espaço em harmonia com a natureza que promoverá o bem-estar, a higiene e a qualidade de vida dos animais. Simultaneamente permitirá promover várias iniciativas com a vertente pedagógica, realizar campanhas de adoção de animais e de promoção do voluntariado. O projeto ocupará cerca de 400 m2 dos 4 hectares do parque sendo constituído por 26 boxes para canídeos, 4 boxes para felídeos, 3 boxes para isolamento, 1 sala de recobro, 1 box para outras espécies assim como um espaço de receção de visitantes.
O projeto CRO_8569/2018CRO_Amares foi candidatado em Abril de 2018 ao Programa de Concessão de Incentivos Financeiros para a Construção e Modernização de Centros de Recolha Oficila de Animais de Companhia e obteve parecer favorável. No entanto, a verba alocada ao aviso não permitiu abranger o CRO de Amares. Aguarda-se financiamento em 2019.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação