Braga Destaque

Fogueira no jardim deixa em sobressalto apartamentos junto ao Minho Center

Sapadores acorreram a uma suspeita de incêndio junto ao Minho Center. Mas era uma fogueira / FAS / Semanário V
Fernando André Silva

Uma intensa névoa de fumo colocou em sobressalto populares que residem nas traseiras do espaço comercial Minho Center, julgando tratar-se de um incêndio numa habitação.

Os Bombeiros Sapadores de Braga receberam o alerta por volta das 23 horas desta sexta-feira, para um alegado incêndio dentro de uma habitação, referindo o popular que se viam “labaredas enormes” entre uma casa e o edifício da Staples, naquele local, em Lamaçães.

Nas ruas ao redor, entre a Makro e o Staples, o fumo era intenso, como constatou o Semanário V no local.

À chegada da equipa de socorro, percebeu-se que se tratava de uma fogueira no quintal de uma habitação, nas traseiras da Staples.

Os bombeiros não realizaram qualquer intervenção, sensibilizando os proprietários para que apagassem a queimada.

Já há uma plataforma nacional para registar queimas e queimadas

A queima de matos cortados e amontoados e qualquer tipo de sobrantes de exploração, está sujeita a comunicação prévia às autarquias. Todas as queimas e queimadas realizadas em território nacional devem ser comunicadas e estão sujeitas a autorização.

A não comunicação pode implicar uma coima até aos 10.000 euros. A legislação recente determina a obrigatoriedade de proceder ao registo de qualquer queima numa plataforma eletrónica de âmbito nacional.

Para tal, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) disponibiliza uma plataforma digital, que permite aos munícipes ou a entidades efetuarem os seus pedidos, tendo para o efeito de se registarem.

A comunicação pode, ainda, ser feita telefonando para os serviços municipais ou para a GNR.

* Com Mariana Gomes

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista

Deixar um comentário