Andreia Santos Opinião

Opinião. “Gestão do Tempo”

Andreia Santos
Escrito por Andreia Santos

Fevereiro está a terminar. Cheguei a casa há pouco, fui para a janela, depois de tirar as botas e colocar os pés no chão. Fui cheirar o fim de tarde. Gosto muito de finais de tarde, destes em que sinto a Primavera. Os dias estão mais longos e fico apenas comigo, a ganhar sentido, depois de parar. Hoje é sobre parar que te quero escrever: “Being Busy is the new Stupid, but Lazy is not the new Smart.” Sabes a diferença entre estar ocupado/a e estar produtivo/a?

Numa conversa entre Bill Gates e Warren Buffett, o primeiro aprendeu com o segundo que ter a agenda cheia e os espaços todos preenchidos nem sempre significa eficiência e eficácia. É preciso guardar tempo para o processo, esta é a grande dica das pessoas altamente produtivas e felizes. Gerir o tempo e organizar bem o trabalho é hoje um dos temas mais solicitados pelas empresas, a par da gestão de stress. Diria que os dois assuntos não se desligam. Fazer muitas coisas e por vezes em simultâneo não garante nem um sistema laboral funcional, resultados, nem saúde. Trata-se de uma relação recíproca. “As soon as possible” (ASAP) tornou-se moda, o sentido de urgência está em toda a parte e cria imperativos ilógicos ao trabalho a desempenhar. Será que importa responder agora a todos os e-mails? Claro que não, apenas aos que são realmente importantes, agendando as respostas aos outros. Ou definindo um tempo para visitar a caixa de entrada. Manter o foco no que é significativo implica perceber isso mesmo, só que não o fazemos. Ocupamo-nos. Assim parecemos importantes e hiper-diligentes, só que não: ficamos cansados e queixamo-nos de que não saímos do lugar. Desmotivamos.

Quando somos bons profissionais somos encantados pelas coisas invisíveis do trabalho e que fazem deste a melhor e mais bonita missão. Para tornar isto verdade temos que compreender que controlar o tempo passa por perspetivar a vida, definindo o que é urgente e importante. “Sentar e pensar pode ser uma prioridade mais elevada que atender a um conjunto de tarefas que existem mas não passam disso.” “Os unicórnios produtivos fazem pausas para o refresh: saem para uma caminhada enquanto ouvem a sua música que desfoca para focar, meditam, arejam…” Há um momento nas nossas carreiras em que temos que dedicar atenção ao que é valioso, dar energia ao que tem que ver com os nossos valores e metas, a começar, e isto é para todos nós, pelo respeito pela própria vida: dormir, comer bem, recuperar, recarregar são requisitos fundamentais para que possamos cortar as fitas da vitória. Concordo com as investigações que dizem que a semana de trabalho deveria ter menos dias. “Os melhores atletas fazem pelo menos quatro treinos árduos por semana e por vezes só dois ou três. No resto do tempo descansam e recuperam e isto é o que faz com que possam estar lá quando estão lá e ter longevidade na carreira sem sobrecarga ou burnout… o mundo laboral tradicional poderia aprender alguma coisa com isto… (Stulberg, 2019). Todos os dias têm as mesmas 24h, de que forma as queres viver? Que Março seja sereno, sábio, produtivo. Até já!

Comentários

Acerca do autor

Andreia Santos

Andreia Santos

Psicóloga Clínica e da Saúde Formadora Profissional