Braga Destaque

Movimento quer coimas em Braga para quem deixar beatas de cigarro no chão

Fernando André Silva

O movimento Braga para Todos quer mais medidas para “desplastificar” Braga, e em carta aberta a Ricardo Rio, deixa uma lista de sugestões para que a cidade conheça uma diminuição drástica do plástico na cidade. Uma delas, passa por coimas para quem “deixar beatas” no chão.

Elda Fernandes, daquele movimento, assina o comunicado enviado às redações com várias medidas para a “desplastificação” da cidade. Copos reutilizáveis em todas as festas municipais e proibição de copos de plástico de utilização única são apelos do movimento que quer ainda ver proibidos talheres e copos de plástico nos estabelecimentos comerciais da cidade, e que os mesmos sejam mais sensibilizados para venda de água em garrafas de vidro.

Sobre as beatas de cigarro deixadas no chão, já existem outros municípios que criaram pagamento de coimas para o efeito. No Funchal vão até 50 euros. Em Leiria, vão de 100 a 500 euros.

O Braga para Todos sugere ainda a oferta de sacos de papel, por parte da Câmara de Braga, a vendedores de feira, mercearias, supermercados de cariz local. Sugerem ainda uma taxa municipal sobre os sacos de plástico.

Sensibilizar, não só cidadãos e comerciantes, mas também os turistas, para o uso correto dos ecopontos, proibir uso de balões nas festas da cidade e das freguesias, colocar copos de papel nas máquinas de água em espaços públicos e coimas para quem deixar beatas de cigarros e pastilhas elásticas no chão são outras das sugestões do movimento.

Querem ainda a oferta de cantis de água a todas as escolas e juntas de freguesia de forma a população adotar um hábito diferente do de comprar garrafas de plástico. Sugerem a colocação de ecopontos de plástico e papel ao lado dos caixotes de lixo no centro da cidade.

Elda Fernandes, do movimento, quer ver todas as festas em Braga a utilizar copos reutilizáveis “e em última opção de papel” para além da proibição do uso de copos descartáveis nos eventos da Câmara de Braga.

“Uma grave lacuna da festa branca do passado ano perpetuou-se no bananeiro, por exemplo,”, diz, apontando ainda as “palhinhas” como desnecessárias.  “Propomos a Ricardo Rio que exista uma equipa de promotores em sinergia também com a Associação Comercial de Braga que faça sensibilização na rua e nos espaços comerciais”, sugere Elda Fernandes, apontando o plástico como “terríveis para o planeta, inclusive para animais marinhos”.

“Achamos, que seria importante Ricardo Rio mostrar verdadeira preocupação com a urgência de reduzir o plástico na cidade, por isso, porque não dar o exemplo e oferecer sacos em papel para as pequenas mercearias usarem para vender fruta e legumes”, sugere ainda.

A nível local, Elda Fernandes, diz que o movimento político tem consciência que há limitações que têm que ser legisladas pelo parlamento, mas, deixa o desafio a Ricardo Rio de tornar Braga a cidade mais amiga do ambiente, e a esta lista, o movimento acrescenta ainda a colocação de ecopontos pequenos ao lado dos tradicionais caixotes do lixo no centro da cidade.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista