Braga Destaque

Presidente da Junta diz que trânsito em São Victor está “quase a roçar o caótico”

Foto: Fernando Araújo
Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

Uma das principais questões que a Junta de Freguesia quer ver resolvida com urgência é o trânsito crescente que se faz notar em São Victor. O presidente da Junta, Ricardo Silva, admite que “vivemos circunstâncias quase a roçar o caótico”.

O autarca prevê que em 2021 a freguesia atinja os 35 mil habitantes, mais 6 a 7 mil relativamente aos últimos censos, em 2011 e aponta que “a própria cidade não está infraestruturada para receber tanta mais população”.

Com este aumento de habitantes é possível prever, igualmente, um aumento de carros a circular na freguesia, “seja estacionados, seja a circular”.

Em São Victor há, neste momento, dois projetos em fase final, relativos à acalmia de trânsito, sobretudo em zonas residenciais. “Informalmente são chamados os projetos das zonas 30. Neste caso, é a zona da Makro, a zona da Praça Ricardo da Rocha, Rafael Alves da Costa, e a torre Europa, mais perto do Braga Parque”, revela Ricardo Silva.

O objetivo principal é promover a mobilidade pedonal e de modos suaves, com o alargamento de passeios. Na zona da Makro “uma faixa ciclável entronca com uma ciclovia do rio este, portanto privilegia aqui a mobilidade pedonal e a de modos suaves e de alguma forma limita as faixas de rodagem ao trânsito automóvel e obriga a abrandar o trânsito dentro destas zonas residenciais”.

O aumento significativo de habitantes causa, também, um maior desgaste do espaço público. O presidente da Junta considera que o Município tem a responsabilidade de fazer o tratamento deste espaço, admitindo que, neste momento, a Câmara de Braga tem uma estratégia ajuizada que São Victor “aceita e subscreve”, que se trata de promover e projetar “a cidade para fora”.

“Fazer a promoção da cidade, tornar a cidade mais atrativa tem trazido dividendos positivos, como as empresas que se alojam aqui, criam emprego, a cidade que passa a ser o segundo melhor destino europeu e tudo isso é extremamente positivo, além de dinamizar a economia e trazer maior encaixe financeiro ao próprio município”, afirma Ricardo Silva.

A prioridade é cuidar da cidade por dentro, “para que quem nos visita, mas sobretudo quem cá vive, tenha a melhor qualidade de vida possível”.

Desta forma, desenvolver medidas de acalmia de trânsito, “ter atenção às urbanizações que cresceram como cogumelos, mas que não obedecem a um plano urbanístico”, são alguns dos principais projetos que São Victor quer ver implementados.

 

Foto: Fernando Araújo

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista