Destaque Região

Caldelas abre albergue para peregrinos de Santiago

Caminho da Geira Romana e dos Arrieiros
Redação
Escrito por Redação

O caminho da Geira Romana e dos Arrieiros, que liga Braga a Santiago de Compostela, com uma distânca de 240 quilómetros, vai passar a estar marcado com setas amarelas no concelho e Amares e, a partir de junho, os peregrinos vão ter um albergue ao dispor em Caldelas.

A informação foi revelada pelo presidente da União das Freguesias de Caldelas, Sequeiros e Paranhos, José Manuel Almeida, que explicou que o albergue resulta do “aproveitamento de um espaço existente e disponível”, que precisa de “ligeiras obras de adaptação”.

O albergue está previsto ser criado “até final de junho” e terá, de início, espaço para 20 peregrinos, instalações sanitárias, chuveiros e uma pequena cozinha para refeições ligeiras. O espaço servia previamente de refeitório e balneário à antiga escola primária de Caldelas.

Por outro lado, “os serviços da união de freguesias e da Câmara de Amares vão iniciar a marcação deste caminho, no território do município, já nos próximos dias. Esse processo deverá estar concluído também até final de junho”, revelou José Manuel Almeida.

O presidente da união de freguesias prevê que o investimento seja baixo, “dado as obras de adaptação [do albergue] serem pequenas, num total a rondar os cinco mil euros no máximo”, embora as contas ainda não estejam feitas.

“A União das Freguesias de Caldelas, Sequeiros e Paranhos, assim como o Município de Amares, tem o máximo interesse na revitalização do caminho da Geira Romana e dos Arrieiros”, refere José Manuel Almeida, adiantando que Caldelas é “um excelente local para a existência de um albergue, dado que pode oferecer aos peregrinos todas as condições e para todas as bolsas, desde uma estada económica até uma estada mais elaborada”.

Os promotores deste itinerário estabeleceram contactos com os municípios de Braga, Terras de Bouro e Melgaço, no sentido de os sensibilizar para a necessidade de fazer as marcações com as setas amarelas, tradicionais do caminho de Santiago, devendo acontecer em breve reuniões para oficializar este objetivo. Está também a ser estudada com a Arquidiocese de Braga a criação de um ponto de acolhimento de peregrinos em Covide, Terras de Bouro.

Este itinerário, também conhecido por caminho da Geira Minhoto Ribeiro, foi percorrido por pelo menos 300 pessoas desde maio de 2017, estimando-se que o número cresça até 500 no corrente ano.

 

 

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação