Destaque Vila Verde

Rosinha de Moure faz 103 anos. O segredo: “um casamento feliz”

Rosinha no Centro Paroquial e Social de Moure © Mariana Gomes / Semanário V
Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

Este domingo é dia de festa no Centro Paroquial e Social de Moure. Maria Rosa, tratada carinhosamente por Rosinha, celebra hoje 103 anos de vida.

Dona Rosa viveu sozinha até aos 101, na freguesia de Moure, e agora na sua nova casa é conhecida por ser uma pessoa vaidosa, alegre, desenrascada e divertida. No Centro Paroquial e Social está apenas há um ano e meio, mas já considera esta a sua casa. “Estou aqui contente porque tenho os outros todos de volta de mim”, disse Rosinha ao Semanário V.

Os responsáveis no Centro Social e Paroquial de Moure asseguram que a Dona Rosa é autónoma e continua a fazer várias tarefas sozinha, com apenas algumas restrições devido à sua longa idade.

“É muito fácil uma pessoa apaixonar-se por ela e não gostar dela é impossível”, disse Cristiana Sá, diretora do Centro Social e Paroquial de Moure, acrescentando que “é um grande orgulho termos a Rosinha cá como utente com a idade que tem. Não é normal termos uma centenária que está tão autónoma. Há muitos centenários no nosso país, mas sem autonomia. Enquanto equipa, é um orgulho ter a Rosinha”.

Casou com 19 anos e afirma que teve um casamento feliz durante toda a vida. Com o marido, Manuel Sousa, teve 9 filhos, mas atualmente apenas tem 7. Com 103 anos, Dona Rosa diz que viveu sempre um vida tranquila e Cristiana Sá acrescenta que o segredo foi ter um casamento feliz durante mais de 70 anos.

Dona Rosa sofreu uma queda em outubro passado, à qual os médicos garantiram que não voltaria a andar. Com força de vontade e apoio incansável da equipa técnica do Centro Paroquial e Social, acabou por recuperar e participou no desfile inserido na programação “Namorar Portugal”, em fevereiro.

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista