Braga Destaque

Em Braga “estacionam em frente a garagens, em cima dos jardins, onde calha”

Polícia Municipal fiscaliza junto ao tribunal de Braga c) FAS / Semanário V
Fernando André Silva

O estacionamento abusivo na cidade de Braga não é novidade e tem vindo a intensificar-se ao longo dos últimos três anos. Luís Pedroso, presidente da junta de Maximinos, Sé e Cividade, que alberga grande parte do centro e periferia da cidade, deixa um apelo aos automobilistas, em declarações ao Semanário V, para que sejam “mais conscientes” na hora de aparcar o carro.

“Temos um problema latente [para fiscalizar o estacionamento], temos pouco policiamento, quer da PSP, quer da Polícia Municipal”, disse Luís Pedroso ao V. O autarca denuncia “muita falta de civismo” por parte dos automobilistas, dizendo até que poderia nem existir polícia se todos cumprissem as regras de uma cidade.

“Se por ventura tivermos mais civismo, nem precisaríamos de polícia”, salienta. Luís Pedroso refere que há automobilistas “que até são educados e se fizerem uma introspeção percebem que estão a agir mal. Peço que pensem quando forem a estacionar e, caso não encontrem lugar válido, utilizem o parque público porque nem vão pagar assim tanto e podem fazer a diferença no caos do trânsito em Braga”.

Falta de civismo

“Nós vivemos num país fantástico. Somos se calhar o melhor povo do mundo e mais habilitado. Contudo, descuramos o que são as nossas obrigações como cidadão”, aponta.

“A obrigação começa dentro de casa. Maior parte de pessoas vive em apartamentos e lá temos direitos e obrigações. Não devemos fazer barulho, lixo, devemos saber utilizar o elevador com regras, etc. E depois vamos para a rua e é igual. Devemos estacionar só num lugar, e não dar cabo de dois lugares como vemos amiúde pela cidade. Dizemos que vamos pôr o carro só 5 minutos, mas não pode ser”, vinca.

Luís Pedroso refere que o carro é um excelente veículo de mobilidade mas aponta que as nossas cidades não foram pensadas para o séx. XXI. “A cidade de Braga é antiga, com centro histórico, portante não podemos deitar abaixo o que lá está, e temos de saber viver com ela”, diz.

Será que é preciso pilaretes?

O departamento de urbanismo da Câmara de Braga instalou vários pilaretes em alguns passeios do centro da cidade de forma a evitar o estacionamento abusivo, medida que causou alguma contestação por parte de cidadãos. Luís Pedroso mostra-se adepto desta medida, mas deixa a questão: “será que é preciso pilaretes? Será que o vereador João Rodrigues gosta de pôr tantos pilaretes? Claro que não. Mas tem de os pôr, porque se não puser é a anarquia completa”. O autarca aponta que, no centro histórico, nas noites de fim de semana, é possível ver “a anarquia que existe” nos estacionamentos.

“As pessoas têm de começar a pensar que não podem estacionar o carro dentro do trabalho nem dentro do restaurante ou do café. Vamos para outras cidades e andámos dois quilómetros a pé para chegar onde nos propomos ir. Em Braga também temos de começar a pensar assim”, salienta, denunciando “pessoas que abandonam a viatura em frente a uma garagem, em cima do jardim, onde calha”.

“Vou dar um exemplo concreto: Praça Diamantino Martins. Tem um triângulo no meio. Passem por lá à hora de almoço e vejam como está aquilo. É o caos. Quase que nem se passa. Não há policiamento? Não precisámos, só precisámos de mais civismo. Que metam o dinheiro no parcómetro”, atira.

Estacionamentos à moda de Braga

(c) Facebook – Estacionamentos à moda de Braga

(c) Facebook – Estacionamentos à moda de Braga

O problema dos estacionamentos em Braga é, aliás, de longa duração, tendo vindo a agravar-se ao longo do último ano. Foi inclusive criada uma página nas redes sociais “Estacionamentos à moda de Braga”, onde diariamente são expostos estacionamentos abusivos que impedem a entrada de moradores em garagens de prédios, ou à livre circulação de peões em passeios, alguns deles com mobilidade reduzida e que não têm alternativa.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista