Destaque Vila Verde

Carlos Braga: “Vila Verde perdeu um grande homem e amigo do amigo”

Foto: Luís Ribeiro
Fernando André Silva

O concelho de Vila Verde acordou com a notícia da morte do antigo comandante dos Bombeiros Voluntários, Arlindo Lago e Sousa, aos 70 anos de idade. As reações pela morte do homem que comandou os operacionais bombeiros de Vila Verde durante 38 anos foram muitas, com o antigo presidente daquela instituição, Carlos Braga, a recordar o “amigo do amigo” e um “grande comandante”.

Ao Semanário V, o antigo presidente da AHBVVV conta que trabalharam juntos nos bombeiros durante 19 anos, mas a relação vem já desde o tempo da juventude, quando fundaram uma associação “ilegal” que arrecadava alimentos para doar às famílias pobres do concelho na altura do Natal.

“A minha relação com o comandante Arlindo vem do tempo da juventude, quando criámos o Centro de Bem Fazer São José, onde angariávamos fundos durante o ano para comprar comida para oferecer às famílias pobres na altura do Natal”, explica.

Carlos Braga revela ainda que, antes do período nos bombeiros, em 1966, fundou, em conjunto com Arlindo e “mais quatro amigos”, o Rancho Típico Infantil de Vila Verde.

“Foi um homem sempre trabalhador, um bom comandante e condutor de homens, e um operacional de palavra”, refere Carlos Braga, que presidiu aos bombeiros durante as últimas duas décadas.

“Nos bombeiros trabalhei muito com ele, e ele esteve sempre à altura do cargo de comandante, tudo numa altura em que não havia os meios que existem hoje”, revela, acrescentando que “havia só um carro e era tudo muito complicado”.

Carlos Braga recorda Arlindo como “um homem bairrista que Vila Verde perdeu”. “Vila Verde perdeu também um grande homem, amigo do amigo e não só, porque contribuiu para o bem de todos em Vila Verde através dos bombeiros e destas associações solidárias das quais fez parte”, explica. “Merece todo o respeito do povo de Vila Verde e não só, pois foi uma pessoa que deu de si antes de pensar em si”, termina o antigo presidente da AHBVVV.

Arlindo Lago e Sousa morreu esta madrugada de 26 de março no Hospital de Braga. O corpo encontra-se em Câmara Ardente no quartel dos Bombeiros Voluntários de Vila Verde. Irá a sepultar na tarde desta quarta-feira no cemitério municipal de Vila Verde.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista