Vila Verde

Santa Casa de Vila Verde envia ajuda humanitária para Moçambique

Redação
Escrito por Redação

Os CTT estão, a partir desta segunda-feira, de portas abertas para a recolha de vestuário e a garantir o envio gratuito dos donativos para as regiões mais afetadas pelo ciclone Idai, em Moçambique.

Dezenas de instituições, organizações e empresas portuguesas, além da sociedade civil em geral, anunciaram apoios financeiros e ações de recolha de bens e fundos para ajudar os milhões de afetados pelo ciclone Idai que atingiu Moçambique.

As autoridades identificaram até ao momento 786 mortos em Moçambique, Zimbabué e Maláui, os três países africanos que há dez dias foram os mais afetados pela passagem do ciclone Idai.

Em Moçambique, o número de mortos subiu para 468, tratando-se, ainda, de números provisórios. A área submersa em Moçambique é de cerca de 1.300 quilómetros quadrados, segundo estimativas de organizações internacionais, e a cidade da Beira, no centro litoral do país, foi uma das mais afetadas pelo ciclone, na noite de 14 de março.

Perante esta tragédia, dezenas de organizações, autarquias, empresas e outras instituições portuguesas anunciaram apoios para Moçambique.

A Santa Casa da Misericórdia de Vila Verde uniu-se a esta campanha e, em cooperação com os CTT de Vila Verde, enviaram roupa para as regiões mais afetadas pelo ciclone devastador, que deixou as populações “sem nada”.

Através da loja social, a instituição fez questão de arregaçar as mangas e unir-se em torno desta causa humanitária. “Somos a Misericórdia de Vila Verde e prezamos as obras da Misericórdia. Neste caso, vestir quem precisa. Estamos sensibilizados para com o nosso povo irmão de Moçambique, e através da cooperação dos CTT’s enviámos roupa que será preciosa para quem mais precisa neste momento”, refere o provedor Bento Morais em comunicado.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação