Região

Barcelos. População manifesta-se por passagem pedonal em linha de comboio

Agência Lusa
Escrito por Agência Lusa

A população da Silva, em Barcelos, vai manifestar-se no domingo para exigir a construção de uma passagem pedonal sob a linha de caminho-de-ferro junto à igreja da freguesia, disse hoje à Lusa o mentor do protesto.

Segundo José Linhares, desde 2001 que a população está privada daquela travessia, depois da supressão da passagem-de-nível que existia no local e que ligava as duas partes da freguesia.

“Na altura, prometeram que seria construída uma passagem pedonal inferior no local, mas até hoje nada”, criticou.

De acordo com José Linhares, as pessoas continuam a usar o local que sempre usaram, passando sobre a linha férrea, “com os riscos inerentes, dado que o viaduto construído a pouco mais de 50 metros da passagem eliminada, pelo acentuado declive do piso, é impraticável quer para pessoas idosas ou com dificuldades motoras, quer para cadeiras de rodas”.

“Por duas vezes, o comboio já teve de parar para não colher um homem que estava a atravessar a linha”, referiu.

Para José Linhares, os riscos serão ainda maiores em breve, com a entrada em funcionamento dos comboios eléctricos, “mais silenciosos e mais rápidos”.

“Já promovemos dois abaixo-assinados, já houve reuniões entre Infraestruturas de Portugal, Câmara de Barcelos e Junta de Freguesia da Silva, mas continuamos sem resultados palpáveis e achamos que é chegada a altura de dizer basta, acrescentou.

Admitiu não ter qualquer documento que comprove a promessa de construção de uma passagem pedonal no local, sublinhando que se terá tratado de um “compromisso verbal”.

Seja como for, frisou, a passagem afigura-se “absolutamente crucial” para a freguesia.

Contactada pela Lusa, fonte oficial da Câmara de Barcelos disse que “nunca houve qualquer promessa” de construção daquela passagem inferior mas adiantou que o município “está, desde a primeira obra, disponível para comparticipar a obra”.

Sublinhou que o assunto é da competência da Infraestruturas de Portugal, que já apresentou, há mais de um ano, um projeto considerado “financeiramente incomportável” pelo município.

O projeto prevê uma intervenção avaliada em meio milhão de euros.

“Os técnicos da Câmara estão a avaliar o projeto, para ver se há possibilidade de o reformular de forma a que o respetivo valor desça substancialmente”, acrescentou a fonte.

A fonte lembrou que a passagem-de-nível foi fechada em 2001, sem que na altura se tivesse registado qualquer oposição ao encerramento.

“Se tivesse havido oposição, talvez as coisas tivessem sido bem diferentes”, rematou.

Comentários

Acerca do autor

Agência Lusa

Agência Lusa