Braga Destaque

Médicos e enfermeiros reúnem-se em Braga para debater temática da dor

1.º Masterclass da Dor do Minho © Luís Gonçalves / Foto Felicidade
Fernando André Silva

São mais de 200 profissionais de saúde, divididos entre médicos e enfermeiros, que estão reunidos durante todo o dia de sábado no auditório do hotel Vila Galé, em Braga, no 1.º Masterclass da Dor do Minho.

Com a temática da dor em destaque, este evento, segundo nos explica o doutor Raul Pereira, consultor científico da Masterclass da Dor do Minho, e criador da primeira “consulta da dor” em Portugal, pretende colmatar algumas lacunas sobre a temática da dor por entre os profissionais.

Sobre o número elevado de participantes, que lotam durante este sábado o auditório do hotel em Braga, enquanto Raul Pereira fala de uma formação global em dor, fisiopatologia, avaliação e terapêutica farmacológica, confessa ao Semanário V estar “muito contente” por tanta gente interessada nesta temática.

“Temos notado que as pessoas estão interessadas e levantam questões. Queremos debater a dor, trocar experiências e ideias e aprender todos um bocadinho uns com os outros”, explica o médico em Ponte de Lima e no Hospital de Vila Verde.

“Acho que os médicos de família estão cada vez mais interessados mas ainda há lacunas na formação. Este evento serve para colmatar algumas lacunas e dar uma visão muito global do que fazer na dor, e como se tratam os doentes e pessoas com dor. Daí termos um evento só dedicado a isto. Acho que vai ser bom para os médicos e enfermeiros que cá estão”, vinca o consultor científico do evento.

Adianta ainda que já “há um convite para o ano para fazer em Viana do Castelo”. “A nossa ideia é ir deslocando o evento para chegarmos a mais pessoas. Neste evento ultrapassamos as 200, e se correr bem, para o ano queremos uma sala maior para ter mais gente e começar a ter este evento uma vez por ano, para que possam fazer a formação adequada”, explicou Raul Pereira.

Durante a manhã, Raul Pereira e Armando Almeida debatem a avaliação da dor, os tipos de dor e as melhores ferramentas para este tipo de avaliação. Durante a tarde, o programa segue com a intervenção relacionada com a terapêutica da dor aguda e de dor crónica, com discussão de casos práticos.

Será ainda abordada a dor em cuidados paliativos, com discussão de casos clínicos. Está ainda agendada uma discussão sobre a consulta da dor nos cuidados de saúde primários e a sua pertinência no contexto atual, isto para médicos de família.

Já no que diz respeito aos enfermeiros, estão agendados para a tarde uma intervenções acerca da aplicação de instrumentos de avaliação na consulta de enfermagem nos cuidados de saúde primários; o papel do enfermeiro na prestação multidisciplinar de cuidados paliativos e a vigilância do diabético ao controlo da dor.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista