Braga Destaque

À conversa com Rui Pinheiro: “Quando fazemos coisas boas recebemos coisas boas”

Andreia Santos
Escrito por Andreia Santos

À Conversa Com… Rui Pinheiro, autor do Blog “O Empreendedor Bracarense”

Terminada a Talk do Rui, já sabíamos os dois que no regresso a casa, pelos caminhos bonitos do Gerês, teríamos a nossa conversa. Tinha esta data marcada há algum tempo, era oportuna para os dois. Com a tranquilidade do meu interlocutor e, entre cedências de passagem a montanhistas e cavalos, falamos sem pressa sobre a vida deste “eterno aprendiz”, que nos ensina.

Momento de trabalho na Startup Braga / DR

A.: Tens um percurso pouco convencional…
R.: Sim, (risos), ingressei no Ensino Superior em Coimbra, onde me licenciei em Ensino de Geografia, na Faculdade de Letras. Na cidade dos arcebispos, completei o Mestrado Ciências das Educação, em Tecnologia Educativa e fiz várias formações na área da Gestão, do Empreendedorismo e da Organização de Eventos. Estive no ensino público e gostei da experiência, mas depois da passagem pelo ensino privado perdi o fascínio e decidi olhar à volta. Fui organizando eventos com equipas de pessoas que são quem tem o mérito de tudo e não eu…
A.: Fala-me desses eventos.
R.: O primeiro foi o Meu Futuro 24, (MF24 Braga), foi aqui que tudo começou (risos). Tratava-se de um ciclo de palestras e networking dinamizados por miúdos com muita vontade de “fazer”. Queríamos incentivar participantes a ganhar competências, por exemplo na procura ou criação de emprego.
A.: Conheço-te desde sempre ligado a essa área de incentivo de empregabilidade e empreendedorismo… com a Climb…
R.: Sim, a Climb também tinha essa finalidade, queríamos sensibilizar para a ação, motivar e dotar de boas ferramentas. Organizamos muitos eventos na altura.

Rui Pinheiro realiza trabalho para a Web Summit / DR

A.: Eu sou testemunha do vosso dinamismo. Isso ajudou a definir o teu caminho?
R.: Ajudou quando por exemplo me candidatava a um lugar, eu já conhecia muita gente e tinha feito muita coisa, a experiência falava por si, o que acabou por me desviar da área do ensino.
A.: Mas para fazer o que gostas… e para criares com a S. (companheira do Rui), um projeto educativo fantástico que ajudou muitas crianças…
R.: A Escola da Terra… foi um projeto pedagógico feito com amor e paixão que acabou por seguir o seu próprio caminho.
A.: Faz-me todo o sentido, mas explica lá a razão por trás da criação do Blog “O Empreendedor Bracarense”.
R.: A ideia era conhecer e aprender com a experiência de pessoas empreendedoras e poder divulgar bons exemplos de empreendedorismo. Se fosse hoje não teria esse nome, mas na altura foi o que fez sentido e ficou.

A.: E agora a Edição da E-magazine…
R.: Porque quero partilhar outras histórias e conteúdos e esse formato permite que o faça. Será um sub-produto do Blog, para já em ensaio. Se alcançar o caminho pretendido, depois será editada para impressão. Terei que arranjar patrocínios que ajudem a que aconteça.
A.: Acabaste há pouco uma Talk em que mais uma vez te vi a apoiar e inspirar pessoas. Quem te inspira a ti?
R.: (Sem hesitar): A C., sem dúvida, (a filha). A família: A S. e a C.. O mar, onde bastam 15 minutos de evasão. (Gosto muito de campo, mas prefiro a praia). As pessoas. Toda a gente tem o potencial de ensinar, às vezes sem saber que o estão a fazer.
A.: Diria que tu tens a capacidade de aprender…
R.: Sim.

No lançamento do Livro em co-autoria Empreender4 com o Município de Esposende

A.: Falaste de exemplos, tornas públicas as conquistas e vidas dos outros. Em que é que tu podes ser um exemplo?
R.: (Hei…) Olha, acho que naquilo que lhes dizia há pouco: não precisamos de procurar ser profissionais apenas nas áreas em que nos formamos, há que olhar alternativas e tentar ir além disso. Em nunca parar.
A.: Em resumo, o que dirias aos jovens que são tantas vezes teus ouvintes?
R.: (Novamente sem hesitar). Para não desistirem, para serem o que são. Que não parem de procurar alternativas, de fazer coisas com paixão e diversidade. Fui muito totó quando andava a estudar: hoje teria feito tanta coisa ao mesmo tempo que tirava o curso… Há muitas oportunidades e outras formas de crescer, que nos ajudam a perceber o que somos e queremos. Que façam coisas boas, com boas intenções…
A.: A Lei de Newton que citaste na formação…
R.: Sim, sabes acredito mesmo que quando fazemos coisas boas, recebemos coisas boas.

Com os Núcleos de dirigentes associativos da Universidade do Minho

O Rui nasceu na Alemanha, mas passou grande parte da sua vida em Braga. É no momento colaborador da Startup Braga, na área da Organização de Eventos e Gestão de Parcerias. Para além dos projetos citados durante a nossa conversa, esteve e estará dedicado à organização do TEDxBraga, podes lê-lo no Livro em que foi Coautor “Empreender4: Empreender em Quatro Etapas”, ouvi-lo e vê-lo num número sem fim de workshops e outras ações. É uma presença assídua e contagiante nos meios académicos e incubadoras de negócios e dono de uma humildade a que já não estamos habituados. Diria que há muito quem tenha a agradecer-lhe, incluindo eu, por muito, muito mais que esta conversa. Obrigada Rui!

Com a equipa de Voluntários do TEDxBraga

Comentários

Acerca do autor

Andreia Santos

Andreia Santos

Psicóloga Clínica e da Saúde Formadora Profissional