Braga Destaque

Parlamento aprova Projeto de Resolução para a requalificação de escola em Braga

Mariana Gomes
Escrito por Mariana Gomes

O Parlamento aprovou, com a abstenção do PS, um Projeto de Resolução apresentado pelo Bloco de Esquerda para a urgente requalificação da Escola Básica 2/3 Frei Caetano Brandão, em Braga.

A escola integra-se no Agrupamento de Escolas de Maximinos e foi novamente excluída da lista de escolas a requalificar no âmbito da reprogramação do Portugal 2020, segundo informação do presidente da Câmara Municipal de Braga em Assembleia Municipal.

O deputado Pedro Soares, adianta que teve a oportunidade de visitar a Escola Frei Caetano Brandão, afirmando que “é evidente a necessidade de obras, como seria expectável numa instalação que vai a caminho dos 40 anos, sem ter tido qualquer intervenção de requalificação”, acrescentando que “apenas em 2017 foram retiradas as coberturas de fibrocimento com amianto”.

No documento do projeto de resolução do Bloco de Esquerda, é afirmado que no passado dia 21 de março, “mais de 200 alunos/as manifestaram-se à porta daquele estabelecimento de ensino para protestar pela degradação das instalações e reinvidicar melhores condições para a escola, sendo evidente o mau estar que o prolongamento das condições degradadas das instalações está a provocar na comunidade escolar”.

O documento destaca, ainda, alguns dos problemas que a escola enfrenta, tais como a chuva dentro das salas de aula, as poucas condições de conforto, “a maioria das portas das casa-de-banho estão partidas, as salas de dança apenas têm um balneário e sem chuveiros. O material informático está obsoleto, a internet nem sempre funciona, o aquecimento só é ligado de manhã e o campo de jogos está com problemas graves de danificação”.

Num documento enviado ao Governo em fevereiro deste ano, o deputado do Bloco de Esquerda solicita o devido esclarecimento sobre o que terá levado a mais uma vez a Escola Frei Caetano Brandão ter sido discriminada. Sem resposta, foi enviado um requerimento ao Governo a pedir que fosse disponibilizado o relatório da última vistoria técnica realizada pela DGEstE e o Município de Braga à Escola Frei Caetano Brandão.

Segundo Pedro Soares, “até ao momento não foi fornecido o referido relatório, apesar de já ter passado o prazo de 30 dias. Esta situação faz pressupor que o relatório corrobora o que constatei na visita que efetuei. A escola precisa de obras urgentes, que incluíam a construção do gimnodesportivo e do auditório, e o ME não tem resposta para que a Escola não tenha sido incluída na lista da reprogramação do Portugal 2020”, conclui.

A Escola Frei Caetano Brandão é uma escola TEIP (Programa Territórios Educativos de Intervenção Prioritária), “com percentagem elevada de alunos vítima de um estigma social/cultural desfavorável, onde há um esforço enorme, da parte dos professores, para criar oportunidades diversificadas de acesso à aprendizagem”.

O depoutado do BE afirma, ainda que estes alunos mereciam uma escola com as mesmas condições das dos colegas  que frequentam escolas públicas já requalificadas.

Comentários

Acerca do autor

Mariana Gomes

Mariana Gomes

Jornalista