Braga Cultura

Braga recorda Crise Académica de 1969

Reitoria - Largo do Paço, Braga
Redação
Escrito por Redação

Sob o lema “Para uma universidade nova”, a cidade de Braga vai assinalar a Crise Académica de Coimbra de 1969 com um conjunto de eventos em abril e maio, sempre com entrada livre.

O objetivo desta iniciativa, organizada pela Universidade do Minho, a Fundação Bracara Augusta, a Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva (BLCS) e a associação Civitas Braga, é recordar “as noites longas nos jardins da Associação Académica de Coimbra”, promovendo a realização de “convívios”, isto é, debates e tertúlias culturais, exposições e momentos musicais.

Trata-se de um evento que pretende recriar momentos onde a palavra, as ideias, a música, a poesia e a amizade convocam a saudade e a nostalgia, ao mesmo tempo que debatem o presente e projetam o futuro.

As celebrações arrancam esta quinta-feira, dia 11, na BLCS, a partir das 15h30, com a inauguração da exposição “Os papéis da/na Crise de Coimbra 1969”.  

A 23 de abril realiza-se o debate principal das comemorações. Rui Vieira de Castro, reitor da UMinho, Nuno Reis, presidente da Associação Académica da UMinho (AAUM), Licínio Lima e Wladimir Brito, docentes da UMinho, Cacilda Moura e Carlos Videira, ex-presidentes da AAUM, Armando Leal, do Centro de Estudantes de Administração Pública da UMinho, Delfina Fernandes, da Associação de Estudantes de Psicologia da UMinho e Francisco Costa, do Centro de Estudantes de Engenharia Informática da UMinho  vão debater “Que universidade queriam os estudantes, que universidade têm hoje”.

 

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação