Vila Verde

António Vilela congratula António Vilela pela gestão do município de Vila Verde

António Vilela (c) FAS / Semanário V
Redação
Escrito por Redação

Sim, leu bem. O presidente da concelhia do PSD de Vila Verde, António Vilela, congratulou esta quinta feira a gestão do município, liderado por António Vilela.

Em comunicado divulgado hoje, a comissão politica cujo presidente da Assembleia é Júlia Fernandes, vereadora do executivo, aponta como “excelente” o “desempenho do executivo social-democrata na gestão dos destinos do concelho de Vila Verde” ao longo de 2018.

Este comunicado surge na sequência da aprovacao, esta quarta-feira, da Prestação de Contas da Câmara de Vila Verde,

“2018 foi um ano de forte investimento em obras que vão melhorar a qualidade de vida dos vilaverdenses, de captação de investimento e de fundos comunitários para o concelho” realça o documento da comissão liderada pelo edil.

Destacam ” elevadas taxas de execução orçamental, que se fixaram nos 90% para a receita e nos 88% da despesa, revelam um controlo do orçamento municipal, demonstrando-se que a equipa social-democrata o elaborou de forma rigorosa e que a sua execução mostra uma elevada capacidade de intervenção do Município no cumprimento das suas funções e no desenvolvimento de projetos de relevante interesse”.

Foi ainda destacado o “controlo da dívida municipal” aponta do uma diminuicao da mesma no valor de 11 milhões de euros.

Aquela comissão política deixa ainda recado à oposição, falando em “ruído” e “falta de rigor técnico” para “contaminar negativamente a opinião pública”, realçando que ” os documentos oficiais são indesmentíveis” .

PS fala em falta de rigor e dívidas ocultadas

Recorde-se que foi a votação na manhã de quarta-feira durante a reunião de executivo da Câmara Municipal de Vila Verde a Prestação de Contas daquela entidade referente ao exercício económico do ano de 2018, com aprovação pela maioria PSD. A oposição votou contra, pedindo maior transparência, realçando o “desaparecimento” de uma dívida à Escola Profissional Amar Terra Verde deste mesmo relatório e apontando o “elevado” valor de contratação pública através de ajustes diretos.

O PS levanta dúvidas, sobretudo na questão do cálculo da dívida total da Câmara de Vila Verde e no número de contratos de contratação pública celebrados através do regime de ajuste direto. E a diferença de valores investidos pela Câmara entre essa forma de contratar para a contratação através de concurso público é quase de 50%. Em 2018, a Câmara de Vila Verde, contratou através de ajuste direto perto de 1,8 milhões de euros. Em regime normal foram investidos 343.070 euros enquanto que em regime simplificado 1.483.644 euros. Já no que diz respeito a concursos públicos, a autarquia gastou em 2018 um total de 871.276 euros, uma redução de quase 50% em relação às empresas contratadas através de concurso público em 2017.

Dívida à EPATV “apagada”?

Outro ponto que levantou dúvidas à oposição na análise a este relatório passa pela despesa municipal, mais concretamente por uma dívida de cerca de 26 mil euros por parte da Câmara de Vila Verde, a ser paga à EPATV. A dívida em questão, que consta no mesmo relatório apresentado em 2017, não está incluída no ano de 2018, sem que a mesma tivesse sido paga, como confirmou o Semanário V junto de fonte da direção daquela escola profissional. A oposição aponta lanças a Sofia Sampaio, responsável pela Divisão de Administração e Finanças, a quem acusa de ter “apagado” a dívida do relatório. Ficam com a dúvida se não terão sido “apagadas” outras dívidas.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação