País

Motoristas de matérias perigosas ameaçam com nova greve

ANTRAM e Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas estiveram esta tarde reunidos sem chegar a qualquer acordo, no âmbito da negociação de melhores salários e condições de trabalho daqueles trabalhadores. É esperada novo encontro até final da semana, podendo aqueles profissionais avançar com nova greve.

O sindicato quer salários de 1.200 euros para os profissionais do setor e ainda um subsídio de 240 anos, para além de redução de idade de reforma, segundo consta no acordo coletivo dos trabalhadores.

“Se somarmos todos os complementos que são atribuídos aos motoristas e o salário base de 630 euros dá um valor próximo de dois salários mínimos e é isso que reivindicamos para salário base, que ficaria indexado ao salário mínimo nacional, acompanhando os respetivos aumentos”, disse o presidente do sindicato, Francisco São Bento, à agência Lusa.

O sindicato pretende ainda manter os suplementos de transporte nacional e internacional por serem uma ajuda de custo aos motoristas de serviço, e criação de um subsídio de operação de matérias perigosas, no valor de 240 euros, para compensar os motoristas ao contacto com matérias nocivas à saúde.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo