Vila Verde

CIM Cávado aprova louvor unânime à EPATV

Partilhe esta notícia!

A Assembleia Intermunicipal da CIM Cávado aprovou-terça-feira, dia 23 de abril, por unanimidade, um voto de louvor à Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), proposto pelos eleitos do Partido Socialista, por se classificar em 9.º lugar entre as 568 escolas de ensino profissional, público e privado, no Ranking de 2018 do Ministério da Educação.

Trata-se de uma escola profissional da Comunidade Intermunicipal do Cávado e a sua classificação, juntamente com o Pólo de Barcelos da Profitecla, constituem um bom cartão de visita do ensino profissional nesta comunidade – referia a moção que recebeu o apoio dos eleitos do PSD/CDS, da CDU e do Movimento Barcelos terra de Futuro.

A Escola Profissional Amar Terra Verde (EPATV), ao ocupar o 9.º lugar entre as 568 escolas de ensino profissional, público e privado, no Ranking dos Exames Nacionais de 2018 do Ministério da Educação, “realça o que se faz de bom na CIM Cávado” – refere o texto que alude à reportagem, no dia 8 de Abril, no Jornal de maior audiência da TVI que apresentou EPATV como modelo inspirador de uma escola inclusiva e promotora da igualdade de oportunidades dos nosso jovens”.

A moção recorda que foi a “primeira vez que o Ranking das Escolas integrou o ensino profissional e sabe bem ouvir que a EPATV regista um baixo índice de abandono (6%) e insucesso escolar (5%), ou porque mudaram de curso, ou porque mudaram de escola ou simplesmente porque não terminaram os módulos ou apenas porque emigraram”.

Na EPATV, “o abandono e insucesso escolar registados ficam bem abaixo da média nacional — que se situa nos 33% — e estes resultados são sinal de que a EPATV tem “uma direção dinâmica e inovadora, uma boa equipa de professores, de colaboradores e alunos empenhados e motivados e este é o grande sucesso que a CIM Cávado deve louvar publicamente”.

Acresce que é uma Escola que mobiliza para o voluntariado sendo Escola Solidária e que há 12 anos sustenta a ‘bandeira verde’ como eco-escola, além de ser Escola Embaixadora do Parlamento Europeu e Escola Protetora dos Direitos das Crianças e Jovens.

Os socialistas, no debate da Moção, denunciaram que a Câmara Municipal de Vila Verde utilizou estas verbas para outros fins, nomeadamente o equipamento de alguns Jardins de Infância.

Além deste louvor, por sugestão de João Granja, eleito do PSD, a Assembleia Intermunicipal do Cávado recomendou que a EPATV “seja integrada no Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar promovido pela CIM Cávado”, da qual foi excluída este ano, apesar do regulamento afirmar “claramente que os alunos do ensino profissional podem participar nas actividades do plano”.

Os eleitos socialistas aguardam agora que a Câmara Municipal de Vila Verde cumpre esta recomendação em próxima edição deste programa de combate ao Insucesso escolar.

O PS aceitou a sugestão do PSD e a moção obteve a unanimidade dos eleitos presentes, numa sessão dirigida por Joaquim Araújo Barbosa, na qual Luís Macedo, Secretário-executivo da CIM Cávado, apresentou o relatório de Gestão e contas de 2018.

O PS absteve-se na votação deste documento por não “explicitar o grau de execução do que foi planeado” e ficar-se com a “sensação de que algus projetos “se arrastam de ano para ano”. Luís Macedo admitiu que os documentos não sejam esclarecedores mas sublinhou que tudo o que foi escrito foi concretizado.

João Granja, em nome do PSD, congratulou-se com o trabalho desenvolvido e citou dados insuspeitos que colocam a CIM Cávado “no segundo lugar, entre 21 Comunidades Intermunicipais, no volume de execução dos fundos comunitários”.

A CIM Cávado beneficiou de um reforço de dez por cento em receitas para este ano — concluiu Luís Macedo que não deixou de falar na desigualdade do PART – Programa de Apoio à Redução das Tarifas de transportes — que entrega 74,5 milhões de euros à AM de Lisboa, contra 15,5 milhões de euros para a AM do Porto e 16,5 milhões de euros para as restantes CIM.

Traduzido em miúdos, cada utente de Lisboa recebe 26,41 euros ao passo que cada utente da Cim Cávado tem direito apenas a 2,89 euros, contra os 8,80 euros para cada habitante da Área Metropolitana do Porto. As verbas foram distribuídas conforme a vontade de cada município num total de 1,6 milhões de euros.

Comentários

topo