Braga

“Serenata” do Enterro da Gata não vai ter fado nem guitarras portuguesas

Este ano, a Serenata que dá inicio às festas académicas da Universidade do Minho não vai contar com um grupo de fados.

A Associação Académica da Universidade do Minho (AAUM) cancelou a participação do Grupo de Fados e Serenatas da Universidade do Minho (GFSUM), substituindo-o pela Tuna Universitária do Minho.

Segundo Pedro Paredes, um dos responsáveis do GFSUM, esta é a primeira vez em 17 anos que este grupo não atua na Serenata e a primeira vez em “pelo menos 30” anos, que nenhum grupo de fados vai atuar.

“Pela primeira vez, em várias décadas, quebra-se uma tradição singular e intrinsecamente ligada à academia de termos uma tuna a atuar na Serenata e não um grupo de fados, por decisão da direção da AAUM”, escreveu o GFSUM numa publicação no Facebook, na qual explica o sucedido.

Esta decisão está a gerar polémica, o que levou o grupo de fados a explicar a sua ausência na Serenta. “As razões para tal procedimento por parte da AAUM prendem-se, segundo a própria AAUM, com o facto de o GFSUM não estar presente no PGCUM (plenário que decide as verbas a distribuir pelos grupos académicos, de frequência facultativa), embora seja um grupo que continua ligado à Universidade do Minho de forma legítima”.

O grupo de fados acusa, ainda, a direção da AAUM de “acabar com uma tradição e a abrir um precedente gravíssimo, a de ter uma serenata de despedida aos finalistas ao som da guitarra portuguesa, realizada por um grupo de fados”.

Num comunicado publicado pela AAUM, é referido que as razões que levaram à saída do grupo passam por questões financeiras.

“Foi indicado pelo grupo cultural ao presidente da AAUM que a sua participação estaria condicionada à existência de uma comparticipação financeira direta para suporte de custos relacionados com o funcionamento do grupo”, pode ler-se no comunicado oficial.

O Enterro da Gata começa a 10 de maio com o Velório e a Serenata.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo