Destaque

Este santuário em Soutelo tem as portas abertas para refúgio espiritual

Partilhe esta notícia!

É já este domingo que o Movimento Apostólico de Schoenstatt organiza a Festa da Mãe Peregrina, com uma peregrinação ao Santuário de Schoenstatt, localizado em Soutelo, Vila Verde.

Situado na Av. Viscondes da Torre, no antigo lugar de Casal, este santuário tem portas abertas todo o ano para quem quiser visitar e procurar aconselhamento com as leigas consagradas do movimento, e recebe este domingo o ponto alto do Movimento Schoenstatt, em devoção a Maria e às famílias, em data que coincide com a comemoração do 28.º aniversário do espaço religioso.

O Semanário V esteve no santuário e falou com as quatro responsáveis pela organização deste evento. Glória Martins, uma das leigas consagradas que reside no santuário, explica que, embora se celebre este domingo a peregrinação onde são esperadas mais de 200 pessoas, o santuário tem as portas abertas todos os dias, das 8h às 21h, para acolher peregrinos e quem simplesmente necessite de um pouco de conforto espiritual.

“Recebemos cá todo o tipo de pessoas, até com problemas psicológicos”, explica, revelando que uma conversa e uma oração podem ser a cura para muitos problemas. “Ouvimos a história da pessoa e depois aconselhámos a que falem com Deus, no nosso santuário, que falem com Nossa Senhora, e que se recolham no colo da mãe, e as pessoas quando saem, já vão diferentes”, garante Glória, apontando “pessoas com depressões” como um dos problemas que levam as pessoas a procurar ajuda espiritual.

Imagem da Mãe Peregrina (c) FAS / Semanário V

“Temos um exemplo de uma jovem daqui da região que veio com uma enorme depressão e que encontrou aqui uma ajuda. Nunca mais deixou de cá vir, curou-se aqui”, assegura.  Glória explica que aqui é encontrado não só o refúgio espiritual mas também um aconchego humano, dirigido a toda a gente. “Somos uma família espiritual mas também em laços humanos”, sublinha.

Glória aponta que as visitas têm sido de maior frequência ao longo dos últimos anos, sobretudo durante o verão. “Há muita gente que passa na estrada e vê o santuário mas não conhece e acaba por visitar. Outras pessoas já entram e vão orar no santuário e nem sequer falam connosco. São peregrinos que vêm cá mostrar respeito e agradecer a Nossa Senhora”, conta.

Gracinda Cerqueira e Sílvia Soares são membros do Movimento Schoenstatt de Braga. Vindas de Braga e Guimarães, estão a ajudar na organização da peregrinação deste domingo, com apoio de dezenas de voluntários vindos de vários pontos do distrito.

Casa Jardim de Maria está aberta todos os dias (c) FAS / Semanário V

“Estamos no mês de maio, e nós somos um movimento essencialmente mariano e todos os meses de maio fazemos esta peregrinação, que é a nossa festa anual do Movimento, representando a mãe peregrina, onde a imagem da mãe vai de casa em casa para junto das famílias”, explica Gracinda.

A mãe peregrina consiste numa imagem que passa 24 horas na casa de cada família, onde esta pode rezar o terço ou simplesmente fazer uma oração à Nossa Senhora. As imagens estão entregues a cerca de 50 famílias missionárias, em Vila Verde, Guimarães e Fafe, e cada uma dessas famílias missionárias tem depois 30 famílias onde a imagem passa um dia de cada mês.

Para a peregrinação, são esperadas cerca de 200 pessoas, como adianta Sílvia Soares. “Este ano, além disso, o santuário faz 28 anos de existência. Foi fundado a 19 de maio de 1991”, acrescenta a vimaranese.

Em Portugal existem santuários em honra de Schoenstatt em Lisboa, Porto, Aveiro e Soutelo.

A peregrinação parte pelas 15h30 da Igreja de Soutelo, em direção àquele santuário mariano.

Um dos pontos altos do evento é a consagração das famílias ao imaculado coração de Maria, a partir das 16 horas, com uma eucaristia a encerrar as celebrações.

Comentários

topo