Braga

Braga está a desenvolver um Plano para o Desenvolvimento Sustentável

O Município de Braga está a desenvolver um Plano Estratégico para o Desenvolvimento Sustentável no horizonte de 2026.

A medida foi avançada esta quinta-feira, 6 de junho, por Ricardo Rio, presidente da Câmara Municipal de Braga, durante a abertura do GreenFest, o maior evento de sustentabilidade do país, que decorre até domingo, no Mosteiro de Tibães, em Braga.

“Braga está a desenvolver medidas compatíveis com o bem-estar da população, de forma a construir uma cidade sustentável e que seja simultaneamente um bom local para viver e visitar. Temos uma perspetiva integrada do território nas mais variadas vertentes, por isso, estamos a desenvolver um Plano Estratégico para o Desenvolvimento Sustentável tendo como horizonte 2026”, avançou Ricardo Rio, acrescentando que essa estratégia será delineada em conjunto com o IB-S – Instituto de Ciência e Inovação para a Bio-Sustentabilidade da Universidade do Minho e com diversas entidades de referência nacional e internacional.

O desenvolvimento económico, o reforço da coesão territorial e social e a proteção do ambiente, são premissas basilares deste projeto. “A urgência climática abriga-nos a tomar medidas para garantirmos uma cidade sustentável e que seja resiliente às alterações climáticas, sob pena de corrermos o risco de Braga perder o seu carácter autêntico”, salientou Ricardo Rio, adiantando que este compromisso terá de ser alargado a toda a sociedade no mais alargado horizonte temporal possível, “desde o Município, às empresas, chegando à comunidade em geral e até aos visitantes”.

Dessa forma, o autarca explicou que o plano tem como base os princípios de estabelecer uma visão holística e transversal das atividades do Município no âmbito do desenvolvimento sustentável. “Por um lado, pretende-se que este plano seja complementar ao Plano Estratégico para o Desenvolvimento Economico de Braga e, por outro, que este plano se torne numa plataforma agregadora e integradora do trabalho desenvolvido por toda a comunidade”, concluiu.

Desta forma, Braga pretende posicionar-se estrategicamente como um agente ativo na construção de políticas sustentáveis e alinhar a sua estratégia aos 17 objetivos do desenvolvimento sustentável constituídos pela Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU).

Bracarenses serão desafiados a dar contributos

Este projeto, ainda em fase embrionária, visa estabelecer o envolvimento de toda a comunidade, com os dos bracarenses a serem chamados a dar os seus contributos. A estratégia será delineada em conjunto com entidades de referencia local, mas também agentes de referência nacionais e internacionais.

Ricardo Rio anunciou ainda que o Município, em parceria com a ‘Aplanet’ vai desenvolver uma plataforma tecnológica de gestão e de criação de iniciativas sociais que vai permitir à autarquia bracarense gerir as suas práticas de responsabilidade social, alinhadas com os objetivos da ONU para o desenvolvimento sustentável.

“Queremos cada vez mais estimular a participação, a criatividade e a pró-atividade dos cidadãos e das instituições, para que promovam iniciativas no âmbito dos objetivos para o desenvolvimento sustentável. Trata-se de uma iniciativa pioneira a nível nacional que queremos que se afirme e que venha a ser replicada por outros concelhos”, explicou Ricardo Rio.

Este envolvimento permitirá a criação de projetos e opções resilientes e inovadoras em contexto urbano e nas mais diversas áreas de atuação, com vista a combater um dos maiores desafios do século XXI: as alterações climáticas.

Este é um passo decisivo para que Braga seja um concelho mais sustentável e que cumpra a definição da sustentabilidade, consensualmente descrita pela primeira vez no relatório Brundtland, através de um território mais resiliente e mais adaptado às necessidades das gerações futuras.

Partilhe esta notícia!

Comentários

topo