Cultura Vila Verde

Keep Razors Sharp no Rock no Espeto 2019

Redação
Escrito por Redação

O coração do Minho prepara-se para bater ao ritmo do melhor rock nacional. Depois de pisarem os palcos do Nos Alive, Vodafone Paredes de Coura, Super Bock Super Rock e Rock in Rio, os Keep Razors Sharp chegam a Vila Verde para encerrar em grande uma noite de concertos com entrada gratuita. Aos cabeça de cartaz junta-se ainda o ritmo folk progressivo dos Omie Wise e o indie-rock dos Flying Cages para completar o alinhamento do Rock no Espeto 2019. Este ano, o festival chega a 06 de julho e tem nova localização no Largo da Feira dos Porcos, em Vila Verde, junto à EPATV (Escola Profissional Amar Terra Verde), um espaço verde e requalificado ideal para bem acolher os festivaleiros.

A música começa a ouvir-se ao final da tarde, em jeito de aquecimento, com os Velvet Skin, projeto local que irá apresentar os seus primeiros originais. Segue-se um workshop de lindy-hop promovido pela Swing da Porta Aberta, para dançar ao pôr-do-sol.

Depois, não vale a pena fazer grandes viagens, podem mesmo jantar por lá. O porco no espeto, tradição gastronómica que é uma das imagens de marca do festival, também já está confirmado no cartaz. Depois, seguem-se várias horas do melhor rock nacional em mais um festival com a chancela da Bullire.

Entre a canção folk e os primórdios do rock progressivo e psicadélico

O Rock no Espeto 2019 arranca com o rock progressivo dos Omie Wise. A banda bracarense sabe bem o que quer, mas isso não a impede de vaguear. De se perder algures entre uma “expansão exacerbada da canção folk” e “os primórdios do rock progressivo e psicadélico” para se encontrar num jogo de contrastes que se complementam. “Entre a ternura e agressão, a proximidade e o espaço, a luz e a sombra”, assim nasceu o seu primeiro EP ‘1808’. Ao Rock no Espeto trazem também temas de ‘To Know Thyself’, primeiro álbum da banda a editar depois do verão, onde prometem um registo refinado pelo afunilamento das referências de cada um dos elementos da banda. Uma mescla de texturas sonoras.

Criatividade, harmonia e muita energia positiva

Logo de seguida, o palco do Rock no Espeto recebe o indie-rock dos Flying Cages. A banda nasceu numa garagem em Coimbra, em 2011, mas rapidamente se afirmou pela criatividade artística. De tal forma que, apenas dois anos mais tarde, o quarteto já atuava num dos maiores festivais nacionais, o Nos Alive. O primeiro álbum chegou em 2016, ‘Lalochezia’, e o grupo continuou a crescer, a somar atuações nos maiores palcos do país e com presença habitual em várias estações de rádio. Naturalmente, surgiu o segundo álbum de estúdio, ‘Woolgather’, muito bem-recebido pelo público e pela crítica. Numa altura em que já se encontra a preparar o terceiro disco, a banda chega a Vila Verde com as melodias harmoniosas e a energia positiva com que conquistou o país.

Uma sonoridade entre o psicadelismo, o shoegaze e o pós-rock

Para fechar com chave de ouro a edição de 2019 do Rock no Espeto, celebrando os 10 anos da associação organizadora, a Bullire, Vila Verde dá as boas-vindas a uma das bandas em maior destaque no panorama do rock nacional – os Keep Razors Sharp. A banda já dispensa apresentações, mas vamos apresentá-los na mesma, porque só nos fica bem e eles merecem. Com uma sonoridade entre o psicadelismo, o shoegaze e o pós-rock, os singles de estreia dos Keep Razors Sharp tornaram-se sucessos radiofónicos que lhes valeram a aposta nacional da revista Blitz para 2014, tendo percorrido palcos de Norte a Sul do País. Chegam ao coração do Minho para apresentar o segundo álbum, ‘Overcome’, que saiu em outubro e voltou a confirmar a banda como um nome de peso no rock português. De tal forma que foram a aposta da Antena 3 para o Festival Eurosonic, na Holanda, no início de 2019.

Espera-nos uma noite de concertos com boa música, bom ambiente e entrada totalmente gratuita. O Rock no Espeto é um festival de música bienal, criado em 2009, pela Bullire – Associação Cultural de Vila Verde, com o objetivo de dinamizar e diversificar a agenda cultural do concelho e da região e de ajudar a divulgar e promover os talentos da música nacional.

Comentários

Acerca do autor

Redação

Redação