Vila Verde

Vila Verde. Festas de Santo António custaram 200 mil euros

Foto: Luís Ribeiro
Fernando André Silva

De acordo as previsões de execução das Grandes Opções do Plano do ano de 2019 da Câmara de Vila Verde, o orçamento para as festas de Santo António deste ano rondam os 200 mil euros, que terá sido quanto custou a produção destes quatro dias das festas concelhias de Vila Verde. Desse bolo, apenas um quarto vem discriminado através do portal de contratação pública Base Gov.

O valor mais alto, que engloba o pagamento dos artistas e toda a produção musical do evento, totaliza uma previsão de 138.600,00€. Já no que diz respeito à designação de “aluguer”, a autarquia prevê desembolsar 37.100,00€, sendo estas duas categorias as mais dispendiosas para os cofres do município. Para além deste valor, está ainda na previsão de orçamento o valor de 7.700,00€ na aquisição de bens, 7.000,00€ em promoção e divulgação do evento, que, recorde-se teve cobertura assegurada pela TVI durante a tarde do passado sábado. Em termos de vigilância e segurança, a autarquia prevê gastar 2.600,00€, e em serviços especializados, o orçamento definido é de 1.210,00€. O valor total é de 194.210,00€.

No que diz respeito a “aquisição de serviços”, que engloba a maior fatia do bolo financeiro (perto de 140 mil euros), apenas alguns contratos estão disponíveis no portal de contratação pública Base Gov. Ao consultar aquele portal, é possível verificar que, em termos de contratos de prestação de serviços e de produção, a autarquia gastou um total de 56.670,00€, com o restante valor [cerca de 140 mil euros] a não ser disponibilizado no portal de contratação pública.

A produção do evento do grupo “Calema” foi o mais caro, totalizando um investimento de 16.750,00€ em contrato adjudicado à empresa JP Produções. Já a montagem de desmontagem das estrutruas e tendas do Festival da Febra e do Espaço Jovem totalizou 15.270,00€, adjudicados à empresa Thomasyl SA. No que diz respeito ao concerto de Toy, a produção ficou por 9.000,00€, adjudicados à empresa Festivalando, com sede em Dossãos. Para além destas, está ainda disponível no portal de contratação pública o contrato para aquisição de som e luz, com a empresa Histórias Soltas, Unipessoal, LDA, pelo valor de 15.650,00€ [ver artigo sobre esta contratação].

Estas festas, que duraram de 12 a 16 de junho, iniciaram com o “Festival da Febra”, ao final da tarde do dia 12, continuaram com a Noite Popular, com direito a rusgas de concertinas e fogueiras no centro da vila. No dia seguinte, decorreram as marchas populares e o torneio internacional de futebol, destinado às camadas jovens, vencido pelo GD Prado.

No dia 15, o destaque foi o cortejo das tradições, onde várias freguesias e instituições desfilaram pelo centro de Vila Verde, em carros alegóricos. Contou ainda com o festival folclórico Luso-Espanhol, e as tradicionais celebrações religiosas, como a Eucaristia e a procissão de Santo António.

Atuaram ainda as bandas Calema, Toy, Roconorte, Academia de Música de Vila Verde [com participação especial de Cuca Roseta], entre outros artistas. O DJ do after party foi investimento privado, ao que apurámos.

Comentários

Acerca do autor

Fernando André Silva

Fernando André Silva

Jornalista

Deixar um comentário