Vila Verde

Vila Verde. Festas de Santo António custaram 200 mil euros

Partilhe esta notícia!

De acordo as previsões de execução das Grandes Opções do Plano do ano de 2019 da Câmara de Vila Verde, o orçamento para as festas de Santo António deste ano rondam os 200 mil euros, que terá sido quanto custou a produção destes quatro dias das festas concelhias de Vila Verde. Desse bolo, apenas um quarto vem discriminado através do portal de contratação pública Base Gov.

O valor mais alto, que engloba o pagamento dos artistas e toda a produção musical do evento, totaliza uma previsão de 138.600,00€. Já no que diz respeito à designação de “aluguer”, a autarquia prevê desembolsar 37.100,00€, sendo estas duas categorias as mais dispendiosas para os cofres do município. Para além deste valor, está ainda na previsão de orçamento o valor de 7.700,00€ na aquisição de bens, 7.000,00€ em promoção e divulgação do evento, que, recorde-se teve cobertura assegurada pela TVI durante a tarde do passado sábado. Em termos de vigilância e segurança, a autarquia prevê gastar 2.600,00€, e em serviços especializados, o orçamento definido é de 1.210,00€. O valor total é de 194.210,00€.

No que diz respeito a “aquisição de serviços”, que engloba a maior fatia do bolo financeiro (perto de 140 mil euros), apenas alguns contratos estão disponíveis no portal de contratação pública Base Gov. Ao consultar aquele portal, é possível verificar que, em termos de contratos de prestação de serviços e de produção, a autarquia gastou um total de 56.670,00€, com o restante valor [cerca de 140 mil euros] a não ser disponibilizado no portal de contratação pública.

A produção do evento do grupo “Calema” foi o mais caro, totalizando um investimento de 16.750,00€ em contrato adjudicado à empresa JP Produções. Já a montagem de desmontagem das estrutruas e tendas do Festival da Febra e do Espaço Jovem totalizou 15.270,00€, adjudicados à empresa Thomasyl SA. No que diz respeito ao concerto de Toy, a produção ficou por 9.000,00€, adjudicados à empresa Festivalando, com sede em Dossãos. Para além destas, está ainda disponível no portal de contratação pública o contrato para aquisição de som e luz, com a empresa Histórias Soltas, Unipessoal, LDA, pelo valor de 15.650,00€ [ver artigo sobre esta contratação].

Estas festas, que duraram de 12 a 16 de junho, iniciaram com o “Festival da Febra”, ao final da tarde do dia 12, continuaram com a Noite Popular, com direito a rusgas de concertinas e fogueiras no centro da vila. No dia seguinte, decorreram as marchas populares e o torneio internacional de futebol, destinado às camadas jovens, vencido pelo GD Prado.

No dia 15, o destaque foi o cortejo das tradições, onde várias freguesias e instituições desfilaram pelo centro de Vila Verde, em carros alegóricos. Contou ainda com o festival folclórico Luso-Espanhol, e as tradicionais celebrações religiosas, como a Eucaristia e a procissão de Santo António.

Atuaram ainda as bandas Calema, Toy, Roconorte, Academia de Música de Vila Verde [com participação especial de Cuca Roseta], entre outros artistas. O DJ do after party foi investimento privado, ao que apurámos.

Comentários

topo