Destaque

Joana Marques Vidal destaca “redes de corrupção e compadrio nas áreas da contratação pública”

Partilhe esta notícia!

Joana Marques Vidal, ex-procuradora-geral da República afirmou em entrevista à Rádio Renascença que existem em Portugal redes que “capturam” o Estado e as autarquias, algumas já a serem desmanteladas, mas outras que estão a começar.

“Há efetivamente algumas redes que capturaram o Estado e que utilizam o aparelho do Estado para a prática de atos ilícitos e, felizmente, algumas estão a ser combatidas, mas outras continuam a fazer isso e há até outras que começam”, diz Joana Marques Vidal.

“Se pensarmos um pouco naquilo que são as redes de corrupção e de compadrio, nas áreas da contratação pública, que se espalham às vezes por vários organismos de vários ministérios, autarquias e serviços diretos ou indiretos do Estado, infelizmente estamos sempre a verificar isso”, sublinha.

Contudo, a antiga procuradora geral não crê que em Portugal haja uma catástrofe no que diz respeito à corrupção. “Não tenho, de maneira nenhuma, uma ideia catastrófica de que toda a gente é corrupta e que todas as autarquias são corruptas e que todos os políticos são corruptos. Não tenho nada essa ideia. Sou, aliás, uma defensora de que os partidos são um elemento essencial da democracia. Poderemos depois discutir se deviam estar mais abertos ou menos abertos, autorregenerem-se, não serem tão complacentes com certos tipos de atividades, mas isso é outro tipo de discussão”, defende.

Comentários

topo